Segurança Social

Cáritas critica falta de apoios públicos à ação social e de habitação

Cáritas critica falta de apoios públicos à ação social e de habitação

A Cáritas Portuguesa criticou, este domingo, a falta de "apoios públicos para a ação social", na sequência do seu Conselho Geral, que decorreu desde sexta-feira na Diocese do Funchal, lamentando, a propósito, "a dificuldade de diálogo e articulação por parte do Instituto da Segurança Social". Alerta ainda para a falta de habitação, também pelos preços elevados.

"Num momento de partilha de realidades e de expectativas face às dificuldades esperadas para o ano de 2023", o Conselho Geral manifestou "a sua preocupação provocada pela insuficiência de apoios públicos para a ação social e uma manifesta dificuldade de diálogo e articulação, nomeadamente, por parte do Instituto da Segurança Social".

"Esta situação dificulta uma ação social com dignidade para os mais vulneráveis", refere a Cáritas em comunicado.

PUB

Habitação com preços elevados

No último dia de encontro, este domingo de manhã, foram também discutidos "o impacto do movimento crescente do fluxo migratório", o papel da Cáritas nesta intervenção, bem como as medidas e apoios que podem ser dados.

"Ficaram evidenciadas como principais dificuldades a habitação seja pelos valores elevados, como pela sua precariedade; a desresponsabilização dos serviços públicos e o difícil acesso ao emprego", critica igualmente a Cáritas nas suas conclusões.

O Conselho Geral da Cáritas Portuguesa reuniu-se durante três dias, juntando representantes de 17 das 20 Cáritas Diocesanas que compõem a rede.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG