Covid-19

Cáritas preocupada com vacinação nos lares de idosos

Cáritas preocupada com vacinação nos lares de idosos

Nova presidente da Cáritas diz que profissionais devem ter formação para administrar as vacinas da covid-19. Rita Valadas adianta que médicos e enfermeiros do terceiro setor podem ajudar no plano de inoculação.

A nova presidente da Cáritas, Rita Valadas, está preocupada com a forma como a vacinação da covid-19 irá decorrer nos lares de idosos. Em entrevista à Renascença/Agência Ecclesia, a sucessora de Eugénio Fonseca alerta para as condições "rigorosas" de aplicação e manutenção da vacina (a da Pfizer, a primeira a chegar ao país, tem de ser armazenada a 70 graus negativos). "Ou nos ensinam como se manuseia e utiliza ou teremos dificuldade", disse.

No entanto, tal como aconteceu com a vacina da gripe, o "Plano de Vacinação Covid-19" prevê que as pessoas institucionalizadas sejam vacinadas nas respetivas unidades, cabendo aos respetivos Agrupamentos dos Centros de Saúde deslocar equipas habilitadas para administrar estas vacinas, bem como assegurar o seu transporte e conservação.

Na entrevista, a responsável adiantou ainda que os médicos e enfermeiros que trabalham no terceiro setor, que tem uma vasta uma rede de instituições, podiam ser chamados a participar na operação de vacinação. "Nós podemos rentabilizar os recursos, mas temos que perceber como é que isso se faz sem erros", disse.

Sobre a crise provocada pela pandemia, Rita Valadas considera que "ninguém estava preparado" para o que está a acontecer. A responsável explicou que tal como em 2008 a instituição está a receber mais pedidos de auxílio. "Quanto mais tempo durar esta situação, mais pessoas vai afetar", frisou.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG