Sondagem

Cartão vermelho a Costa, Catarina e Jerónimo

Cartão vermelho a Costa, Catarina e Jerónimo

Líder socialista tem pela primeira vez saldo negativo na avaliação dos portugueses, de acordo com sondagem da Aximage para o JN, DN e TSF. E também há sinais negativos para os seus parceiros de "geringonça".

António Costa está pela primeira vez no "vermelho", no que diz respeito à avaliação dos líderes partidários. O secretário-geral do PS tem 34% de avaliações positivas, contra 38% de negativas, o que resulta num saldo negativo de quatro pontos e contrasta com os 11 pontos de saldo positivo que obteve em julho passado. Os seus companheiros de "geringonça" estão também em queda acentuada.

O socialista foi sempre o segundo líder político mais popular do país (melhor só Marcelo Rebelo de Sousa) e sempre com um saldo positivo, desde que se iniciou a publicação do barómetro da Aximage no JN, DN e TSF, em julho de 2020. A explicação para o colapso de Costa encontra-se na análise aos segmentos de voto: passou de saldo positivo a negativo entre os eleitores do BE e do PCP (um efeito claro do divórcio orçamental), mantendo-se à tona apenas entre os socialistas e os que anunciam o voto no PAN.

Os seus ex-companheiros Catarina Martins e Jerónimo de Sousa são igualmente maltratados na avaliação deste mês aos líderes partidários. A coordenadora do Bloco passa de um saldo positivo de um ponto para um saldo negativo de 21 pontos; enquanto o secretário-geral comunista aprofunda o saldo negativo de 14 para 30 pontos percentuais. Em espelho com Costa, o curto-circuito é provocado por uma mudança drástica dos eleitores socialistas: dois terços dos eleitores do PS fazem agora uma avaliação negativa dos dois líderes mais à Esquerda, aparentemente motivados pelo chumbo ao Orçamento do Estado e pelas acusações mútuas que se seguiram.

A exceção do PAN

PUB

A única líder partidária que não está em terreno negativo é Inês Sousa Real do PAN. Mas também não chega ainda a saldo positivo, uma vez que as avaliações negativas e positivas se distribuem equitativamente (25% para cada lado). Note-se ainda que um quinto dos inquiridos não tem opinião sobre a líder do partido ambientalista e animalista e que quase um terço se refugia numa avaliação neutra (assim-assim).

André Ventura continua a destacar-se dos restantes pela grande percentagem de avaliações negativas, que faz dele o líder político menos apreciado pelos portugueses. Essa rejeição é particularmente aguda entre os eleitores dos três partidos mais à Esquerda.

44,1%

Quando se pergunta aos portugueses em quem depositam mais confiança para primeiro-ministro, António Costa continua a bater Rui Rio por larga margem, mesmo que o socialista registe em novembro a sua pior percentagem, desde que se iniciaram os barómetros, em julho de 2020. O apoio dos inquiridos com 65 anos ou mais (66%) é essencial para o resultado do atual primeiro-ministro.

18,6%

O presidente do PSD perde pontos no "jogo" da confiança para primeiro-ministro, face a julho passado. Mas não é o seu pior resultado nos barómetros da Aximage (em maio passado ficou-se pelos 15%). Entre os que anunciam o voto nos partidos à Direita, leva vantagem sobre Costa. Mas há 15% de eleitores sociais-democratas que confiam mais no socialista.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG