Diogo Vasconcelos

Carvalho Guerra: "O Diogo vai fazer muita falta ao país"

Carvalho Guerra: "O Diogo vai fazer muita falta ao país"

Carvalho Guerra, ex-reitor da Universidade Católica do Porto, lembrou ao JN o "enorme amigo" Diogo Vasconcelos."O país ainda não lhe agradeceu", lamentou. "Vai fazer muita falta", disse o ex-reitor da Católica.

A voz embargada de Carvalho Guerra lembra a amizade cerzida nas muitas "horas, noites, almoços, jantares de trabalho" que passou com Diogo Vasconcelos. Carvalho Guerra como reitor da Universidade Católica do Porto, Diogo Vasconcelos, primeiro como presidente da Associação de Estudantes a Universidade Católica do Porto, depois como fundador de Federação Académica do Porto (FAP).

"Tinha qualidades invulgares... Nas horas difíceis que passou, na FAP e também no PSD, nunca criticou, nunca desabafou, nunca acusou", recordou Carvalho Guerra. "Engolia e andava para a frente".

O ex-reitor da Católica lembra, ainda, a humildade que sempre impediu Diogo Vasconcelos de se vangloriar pelos cargos que foi ocupando, servindo o país com "grande entusiasmo e dinamismo".

Carvalho Guerra recorda, ainda, um almoço, debaixo de uma japoneira, ainda antes de Diogo Vasconcelos aceitar o cargo na Cisco System, em Londres. "Falávamos se devia ou não aceitar e o Diogo disse-me: 'Se calhar, fico melhor no meu país'. E eu respondi-lhe: 'Só te faz bem ir, verás as coisas de fora".

Diogo Vasconcelos aceitou o emprego. Foi em Londres que morreu, na noite passada, aos 43 anos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG