PS

Caso "Cigana": Manuel dos Santos não vê motivos para "expulsão"

Caso "Cigana": Manuel dos Santos não vê motivos para "expulsão"

O eurodeputado socialista Manuel dos Santos considera que não há razões para vir a ser expulso do PS, depois de ter chamado "cigana" a Luísa Salgueiro, deputada e candidata à Câmara de Matosinhos.

O histórico dirigente considera que as suas declarações no Tweet foram "uma simples afirmação" e não são "ofensivas" contra a socialista, que apresentou a sua candidatura esta tarde.

"Considero-a uma candidata não eleita pelos socialistas, mas imposta pela Federação. Tratou-se de uma expressão, que não é ofensiva nem para ela, nem para os ciganos", disse, apontando que não vê "razão" para que o partido lhe mova um processo com vista à sua expulsão.

"Quando me interrogarem, irei dizer o que penso. Não foi minha intenção ofender ninguém com um tweet aligeirado", alegou para rebater a anunciada retirada de confiança da Federação do PS/Porto.

"A posição da atual federação não me preocupa, porque nunca tive a sua confiança política. Por isso, não me podem tirar o que não existe", concluiu.

PUB

Manuel dos Santos manteve-se ativo na sua conta no Twitter durante esta sexta-feira, cujos últimas publicações visam já outros destacados dirigentes socialistas, como o líder da concelhia do Porto, Tiago Barbosa Ribeiro, defendeu que tudo não passou de "uma simples afirmação", contra Luísa Salgueiro, que esta sexta-feira apresentou a sua candidatura.
Este caso levou o Alto-Comissariado para as Migrações (ACM) a apresentar queixa à Comissão para a Igualdade e Contra a Discriminação contra Manuel dos Santos.

Num comunicado enviado às redações, o Alto-Comissário Pedro Calado afirma que considera o "teor" do tweet "suscetível de ser considerado de caráter discriminatório". Daí que tenha remetido à Comissão para a Igualdade e Contra a Discriminação (CIG) o assunto "para averiguação dos factos"

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG