Nacional

Cavaco recomenda "mais estudo" na análise financeira

Cavaco recomenda "mais estudo" na análise financeira

O presidente da República, Cavaco Silva, recomendou este sábado "um pouco mais de estudo" aos que sofrem de "ignorância na análise" financeira, numa alusão às agências que desceram o 'rating' de Portugal em quatro níveis.

"Àqueles que sofrem de ignorância na análise, eu apenas posso recomendar um pouco mais de estudo", disse Cavaco Silva, em Vale do Lobo (Algarve), onde assistiu ao início da 5.ª Taça de Golfe Portugal Solidário.

Para o presidente da República, "não há a mínima justificação para que uma agência de notação altere a apreciação que faz da República Portuguesa, quando há informações de que Portugal está a cumprir tudo o que consta do memorando assinado com a União Europeia e o FMI".

O chefe de Estado sublinhou que, contrariamente ao passado, "houve um reconhecimento generalizado de um comportamento", que se pode considerar como "uma ameaça à Zona do Euro", acrescentando que os agentes europeus "reconhecem que é necessário passar das palavras aos actos".

"Espero agora que a União Europeia acabe por tomar as medidas que libertem, de alguma forma, o processo de decisão de 27 chefes de Estado e de Governo da influência das agências de 'rating' norte-americanas", destacou Cavaco Silva.

Na opinião do presidente da República, a criação de uma agência europeia de análise financeira "é uma hipótese que se tem falado", e remete para a Comissão Europeia "o estudo da forma mais adequada para responder a situações", como a que ocorreu com Portugal.

Para Cavaco Silva, Portugal pode ter funcionado como um "detonador" para despertar a União Europeia, sustentando que "nunca isto tinha acontecido no passado, mesmo com as situações da Grécia e da Irlanda".

"Nunca tinha havido um levantamento tão generalizado dos agentes europeus para a necessidade de agir face a uma actuação, reprovada e condenada de uma forma tão geral como eu nunca tinha assistido", disse Cavaco Silva.