Fundos europeus

CCDR-Norte ouve personalidades, instituições e empresários da região

CCDR-Norte ouve personalidades, instituições e empresários da região

António Cunha quer ouvir responsáveis para definir estratégias na aplicação das ajudas comunitárias.

O presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDR-N), António Cunha, começa esta terça-feira a ouvir personalidades, instituições e empresários da região Norte, com o objetivo de criar uma "base alargada de envolvimento regional nas principais políticas e dossiês da instituição".

De acordo com esta entidade, entre as personalidades que confirmaram a presença encontram-se Luís Valente de Oliveira, ex-ministro, Isabel Pires de Lima, ex-ministra e ex-deputada, e o cientista Manuel Sobrinho Simões.

Das instituições e empresários que também vão ser ouvidos estarão, entre outros, Fontainhas Fernandes, reitor da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, Luís Miguel Ribeiro, da Associação Empresarial de Portugal, e Luís Pedro Marques, da Entidade Regional de Turismo do Porto e Norte de Portugal.

A CCDR-N sublinha tratarem-se de fóruns informais que têm como pano de fundo o novo ciclo da Política de Coesão da União Europeia para o horizonte 2021/2027 e a definição de novas estratégias nacionais e regionais para a aplicação desse próximo pacote de ajudas comunitárias, incluindo o Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) português.

Nestes contactos, serão apresentadas as apostas da estratégia "NORTE 2030", aprovada a 30 de dezembro de 2020, assim como a recente participação pública da Comissão Permanente do Conselho Regional do Norte relativa à proposta de PRR.

Recorde-se que, tal como o JN noticiou, António Cunha também começou a ouvir na semana passada os 50 deputados da Assembleia da República eleitos pelos círculos da região sobre as estratégias para os fundos europeus. Estes encontros vão realizar-se com regularidade.

PUB

A Comissão Permanente do Conselho Regional do Norte (órgão consultivo da CCDR-N) emitiu, no final de fevereiro, uma deliberação que recomenda ao Governo a descentralização da implementação do PRR, através das CCDR e das entidades intermunicipais, de forma a garantir "o equilíbrio territorial da sua aplicação".

No Norte deverão ser aplicadas verbas no valor de 7,8 mil milhões de euros.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG