Covid-19

CDS aceita votar a favor de estado de emergência "minimalista"

CDS aceita votar a favor de estado de emergência "minimalista"

O presidente do CDS manifestou a disponibilidade do partido para votar a favor de um estado de emergência "minimalista" e que ponha fim às dúvidas jurídicas. No entanto, Francisco Rodrigues dos Santos acusou o Governo de "transformar a pandemia num pandemónio".

"O CDS terá de conhecer os termos do estado de emergência, mas temos disponibilidade para votar a favor", afirmou esta segunda-feira o líder democrata-cristão, à saída de uma audiência com o presidente da República, em Belém.

Rodrigues dos Santos disse que o Governo tem feito uma gestão "desastrosa" da pandemia, nomeadamente na demora da resposta em áreas como a contratualização com os setores privado e social da saúde ou o reforço do rastreamento. No entanto, acrescentou que o CDS não é "negacionista" e como tal, participará "no esforço nacional de salvar vidas".

"O CDS, entendendo o estado de emergência jurídico, para acautelar as inconstitucionalidades hipotéticas, e minimalista, com medidas cirúrgicas, localizadas e zona a zona, entendemos participar neste esforço nacional. Sendo certo que temos de criticar o Governo porque permitiu que o país chegasse ao estado a que chegou", disse, acusando o executivo de "transformar a pandemia num pandemónio".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG