Pandemia

CDS acusa Governo de "correr atrás do prejuízo" no plano de vacinação contra a covid

CDS acusa Governo de "correr atrás do prejuízo" no plano de vacinação contra a covid

O presidente do CDS-PP pediu esta sexta-feira respostas "claras" por parte do coordenador do plano de vacinação contra a covid-19 e acusou o Governo de estar a "correr atrás do prejuízo" e a colocar o país "na cauda da Europa".

"É alarmante notar que o Governo, até agora, nada fez e que arrisca-se a colocar Portugal mais uma vez na cauda da Europa na vacinação, tornando o cidadão português inferior ao cidadão alemão, espanhol francês ou holandês que está neste momento com uma segurança e tranquilidade", afirmou Francisco Rodrigues dos Santos.

Em declarações aos jornalistas, à margem de uma visita ao Centro Hospitalar Tâmega e Sousa, o presidente do CDS-PP acusou o Governo de estar a "correr atrás do prejuízo" e a "decidir tarde de mais", o que pode "colocar em risco a vida de muitos portugueses".

O CDS-PP requereu esta sexta-feira uma audição parlamentar urgente do responsável pela 'task force' que vai delinear o plano de vacinação contra a covid-19 em Portugal, o ex-secretário de Estado da Saúde, Francisco Ramos.

Segundo Francisco Rodrigues dos Santos, o partido quer "respostas claras" e perceber qual o plano logístico para o armazenamento e a distribuição de vacinas contra a covid-19, mas também qual a estratégia para a definição dos grupos prioritários por forma a "colocar a salvo aqueles que mais precisam de ficar imunes ao vírus".

"O CDS está apreensivo dada a escassez de respostas e as mensagens contraditórias que o Governo tem dado ao nível do plano de vacinação que ainda não existe e apenas foi criada uma 'task force para o criar, numa verdadeira luta contra o tempo que terá apenas a duração de um mês", salientou.

PUB

Para o presidente do CDS-PP, este "atraso" na definição do plano de vacinação demonstra que "Portugal está a ser um país uma vez mais relapso, incompetente" e que tal pode "comprometer a salvação de vidas" numa altura em que considera fundamental "tranquilizar os portugueses".

"O CDS quer respostas, um plano credível com previsibilidade que dê tranquilidade e segurança os portugueses", referiu, acrescentando que o país está "numa luta contra o tempo".

"Somos dos últimos países da Europa a iniciar este processo, o que nos coloca como dos últimos países a ser vacinados. Queremos saber qual é o plano logístico, mas também queremos saber a estratégia".

Francisco Rodrigues dos Santos afirmou ainda não perceber "as dúvidas, sinais contraditórios, falta de organização e planeamento" relativamente aos grupos prioritários a receberem a administração da vacina contra a covid-19, lembrando que "a literatura científica é absolutamente clara nesta matéria e que os idosos são altamente de risco".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG