Parlamento

CDS pede medidas concretas e permanentes contra a seca

CDS pede medidas concretas e permanentes contra a seca

Os deputados do CDS-PP entregaram, esta sexta-feira, um projeto de resolução que recomenda ao Governo "a preparação de medidas concretas, e com caráter permanente" para minorar os efeitos da seca. Um plano de investimentos para reter e armazenar água, o aproveitamento de todas as albufeiras existentes, avaliando a hipótese de serem utilizadas também para rega e abastecimento público, e um sistema nacional de eficiência hídrica dos equipamentos são algumas das propostas.

"Somos o país da União Europeia com maior risco de desertificação, com secas mais frequentes e prolongadas, provocadas pelas transformações climáticas, e os territórios do interior são particularmente sensíveis a estes fenómenos. Estamos, por isso, perante um enorme desafio: assegurar a utilização sustentável da água, conjugando os usos atuais e futuros com os cenários de alterações climáticas", alerta do CDS-PP, no projeto assinado pelos deputados Assunção Cristas, Cecília Meireles, Telmo Correia, João Almeida e Ana Rita Bessa.

O grupo parlamentar dos centristas destaca, na proposta de recomendação do Parlamento ao Governo, que, por isso, é preciso "definir objetivos estratégicos e, para os atingir, aprovar políticas de urgência, que reforcem as medidas já em vigor, designadamente aquelas desenvolvidas no âmbito do Plano Nacional da Água".

"A elaboração de um plano de investimentos para reter e armazenar água, investindo em metodologias de planeamento hidrológico" é a primeira medida que o CDS-PP refere, seguindo-se "o aproveitamento de todas as albufeiras existentes, avaliando a hipótese de, para além da vertente hidroelétrica, poderem ter um uso múltiplo, passando, após negociação para esse efeito, a ser utilizadas também para rega e abastecimento público se necessário".

Em terceiro lugar, o grupo parlamentar centrista defende "um sistema nacional de eficiência hídrica dos equipamentos, através da criação de um quadro legal para a certificação hídrica dos edifícios e, sobretudo, do apoio aos investimentos destinados a melhorar a eficiência hídrica".

A lista de medidas concretas e permanentes que o CDS considera que o Governo deve implementar inclui ainda "a criação de incentivos à reutilização de águas cinzentas e aproveitamento de águas pluviais na construção e reabilitação do edificado".

De resto, os cinco deputados do CDS dizem ser também fundamental sensibilizar as populações para conseguir minorar os efeitos da seca. Por isso, o texto prevê a constituição de "redes de água mais inteligentes, quer através da distribuição eficiente, quer induzindo o consumo inteligente, sensibilizando as populações, dando ao cidadão e às famílias a informação necessária para adotar um consumo sustentável deste recurso".

Do mesmo modo, reclama "a adoção de medidas que resultem na sensibilização das populações, de forma a prevenir e combater todas as formas de desperdício de água" e pede também "prioridade a investimentos essenciais para eliminar as perdas de água, seja nas redes de abastecimento público, seja nos regadios tradicionais".