Política

CDS-PP alarga corte de 5 % a gabinetes da presidência da República e Governos Regionais

CDS-PP alarga corte de 5 % a gabinetes da presidência da República e Governos Regionais

O CDS-PP anunciou hoje, quarta-feira, que vai incluir os gabinetes da Presidência da República e Governos Regionais na iniciativa que propõe cortar 5 por cento nos vencimentos de assessores, com PS a defender ainda mais reduções caso esta proposta avance.

Na comissão parlamentar de Orçamento e Finanças, os deputados definiram o dia de hoje como data limite para a apresentação de propostas de alteração ao projecto de lei do CDS-PP e marcaram nova reunião para quinta feira à tarde para discussão e votação na especialidade, subindo o diploma a plenário para votação final global caso seja aprovado.

A deputada do CDS-PP Assunção Cristas referiu que "em virtude da discussão na generalidade" deste projecto, a sua bancada decidiu "afinar a redacção" e incluir a Presidência da República e os Governos das Regiões Autónomas da Madeira e dos Açores.

Cristas disse ainda que na nova proposta vai ser "excluído" um ponto que fazia referência aos assessores parlamentares, porque estes "não têm o vencimento indexado ao vencimento dos deputados".

À agência Lusa, a deputada centrista disse que o CDS-PP propôs cortes nas subvenções aos grupos parlamentares -- de onde também são pagos os vencimentos - e que a redução nos salários destes assessores pode acontecer por essa via.

Já o PS, pela voz do deputado Vítor Baptista, voltou a tecer críticas ao projeto dos centristas, considerando-o "demagógico", mas anunciou que, caso este avance, vai apresentar uma alteração que abrange mais gabinetes: os dos grupos parlamentares, da Provedoria de Justiça, dos representantes da República nas Regiões Autónomas e da Presidência da Assembleia da República.

Vítor Baptista acusou o CDS-PP de "falta de critério" e de escolher os gabinetes abrangidos "a gosto": "Não se percebe, porque não são todos abrangidos".

"Nós temos uma proposta de alteração, que iremos apresentar", disse, referindo que a iniciativa também contempla os gabinetes já propostos pelo CDS-PP: Governo, Governos Civis, Presidências de Câmara e Vereações Municipais, Governos Regionais e Presidência da República.

Aos jornalistas, à margem da comissão, Vítor Baptista disse que é contra esta proposta, mas "a ter de avançar", deve "abranger tudo de uma forma justa".