OE2022

CDS: Previsões de crescimento estão "abaixo" do projetado há um ano

CDS: Previsões de crescimento estão "abaixo" do projetado há um ano

Após conhecer as linhas gerais do OE2022, o CDS destacou que as previsões do Governo quanto ao crescimento do país estão "abaixo" do que era projetado há um ano. A deputada Cecília Meireles também disse não ter conseguido "garantias" de que os impostos não irão subir em 2022.

À saída da reunião em que o Governo apresentou as linhas gerais do Orçamento do Estado para 2022 (OE2022), Cecília Meireles confirmou - tal como o PCP já rinha revelado antes - que o Governo prevê um crescimento de 4,5% do PIB em 2021. O OE 2020 projetava um valor na ordem dos 5,4% para este ano, lembrou.

"Este ano, o primeiro trimestre correu de tal maneira mal com a questão da pandemia que não foi possível recuperar o que estava previsto", lamentou a deputada do CDS-PP.

Telmo Correia, líder da bancada democrata-cristã - que também fez alguns comentários breves -, lembrou que o OE não está finalizado e que, como tal, não é possível analisá-lo com "detalhe". Ainda assim, Cecília Meireles admitiu não ter tido "garantias" de que o documento vá consagrar o "alívio generalizado do IRS" defendido pelo CDS.

Referindo-se aos englobamentos, a parlamentar afirmou que pretendia ver assegurado que "nenhum português, com os mesmos rendimentos, vai pagar mais IRS em 2022 do que em 2021". Também neste particular disse não ter recebido "explicações cabais".

PUB

Cecília Meireles defendeu a necessidade de dar "estímulos extra" ao setor privado, como forma de impulsionar a recuperação económica. No entanto, revelou que a descida do IRC não está "em cima da mesa".

A apresentação das linhas gerais do OE aos partidos está a ser feita pelo ministro das Finanças, João Leão, e pelo secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares, Duarte Cordeiro.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG