Nacional

CDS saúda "passo importante" e reconhecimento de "esforços e sacrifícios" nacionais

CDS saúda "passo importante" e reconhecimento de "esforços e sacrifícios" nacionais

O líder parlamentar do CDS-PP, Nuno Magalhães, considerou hoje que foi dado "um passo importante" com as decisões saídas da cimeira europeia, realçando que há o reconhecimento dos "esforços e sacrifícios" de Portugal.

"Este conjunto de decisões são um passo importante porque permitiram quebrar o impasse preocupante que estava a ocorrer para uma solução para a União Europeia", afirmou à Lusa Nuno Magalhães.

O líder da bancada democrata-cristã sublinhou que "a reação dos mercados" às conclusões da cimeira é "encorajadora", apesar de reconhecer que persiste um "problema de fundo, que é a necessidade de a Europa não ser reativa, mas sim ter uma reposta integrada global e concluir a reflexão do Governo económico europeu" que possa "evitar estas cimeiras e soluções avulsas".

PUB

"Não obstante, não deixamos de realçar que são passos importantes", disse.

"Do ponto de vista português, não deixamos de notar que os líderes europeus, e ao contrario do que acontece em Portugal de forma demagógica, veem os esforços e os sacrifícios que o Governo português foi obrigado a impor aos portugueses como passos positivos, como progressos, afastando-nos cada vez mais da situação da Grécia", defendeu.

Nuno Magalhães insistiu que "todas as declarações de líderes europeus e as próprias conclusões da cimeira notam um afastamento da situação portuguesa em relação à Grécia, o que de um ponto de vista meramente nacional não deixa de ser encorajador para continuação de reformas que são difíceis mas são necessárias".

Os líderes europeus e da zona euro chegaram esta madrugada, ao fim de uma maratona negocial de quase dez horas, a um novo plano para reduzir a dívida grega e atribuir a Atenas um novo plano de resgate, prevendo que a banca aceite perdas de 50 por cento nos investimentos na dívida soberana da Grécia.

A declaração final da cimeira elogiou também o esforço de Portugal e da Irlanda no cumprimento dos programas de ajustamento ao abrigo da ajuda externa, e "convida os dois países a manter os seus esforços, a manterem-se comprometidos com as metas acordadas e estarem dispostos a tomar quaisquer medidas adicionais necessárias para atingir essas metas".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG