CDS-PP

CDS-PP diz que optar por quem perdeu seria estranho

CDS-PP diz que optar por quem perdeu seria estranho

O vice-presidente do CDS-PP Nuno Melo considerou que "indigitar quem venceu é um ato normal em democracia e optar por quem perdeu é que seria estranho", realçando que a responsabilidade é agora dos deputados.

Na reação ao discurso do presidente da República, que esta quinta-feira, indigitou o líder do PSD, Pedro Passos Coelho, para o cargo de primeiro-ministro, Nuno Melo considerou que este foi um dos discursos mais "importantes, claros e corajosos" de todos os mandatos de Cavaco Silva, afirmando que "indigitar quem venceu é um ato normal em democracia" e "optar por quem perdeu é que seria estranho".

Segundo o centrista - que recordou que Cavaco Silva fez aquilo que todos os presidentes da República fizeram nos últimos 40 anos - a decisão e a responsabilidade cabe agora aos deputados, sendo de esperar que os parlamentares façam o que tenha que ser feito, escusando-se a antecipar cenários.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG