Exclusivo

Cedência de dados: Comissão desconhece casos noutros municípios

Cedência de dados: Comissão desconhece casos noutros municípios

Proteção de dados diz não ter relato de situação similar a Lisboa. PS promete atualizar direito de manifestação.

A polémica em torno da partilha de dados pessoais de três ativistas russos com as autoridades de Moscovo pela Câmara de Lisboa está longe de terminar. Há versões contraditórias sobre o envio de informação para outros países, pedidos de auditoria nacional e a garantia de que o Governo prepara uma nova lei sobre manifestações. Por sua vez, a Comissão Nacional de Proteção de Dados (CNPD) disse ao JN não ter conhecimento de situações similares em outros concelhos.

A Câmara liderada por Fernando Medina, que pediu desculpa pelo "erro lamentável" no envio de dados de ativistas anti-Putin, também forneceu dados a Israel, China e Venezuela. O Comité de Solidariedade com a Palestina promoveu uma manife junto do Coliseu dos Recreios em 2019 e viu o email da Embaixada de Israel incluído no processo. Quando protestou, foi informado pela Câmara de que o mesmo sucedeu com as embaixadas da China, avisada sobre uma manife de dissidentes tibetanos, e da Venezuela.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG