Vacinação

"Estamos a dar uma lição ao mundo", diz Gouveia e Melo

"Estamos a dar uma lição ao mundo", diz Gouveia e Melo

Cerca de 45 mil pessoas foram vacinadas, este sábado de manhã, no primeiro dia dedicado à faixa etária entre os 12 e 15 anos, revelou o líder da task force que está a organizar este processo e que deixou elogios ao esforço nacional de vacinação.

Durante uma visita ao centro de vacinação de Alcabideche, Gouveia e Melo revelou que até às 11.45 horas foram vacinadas 45 mil pessoas, maioritariamente jovens, e lembrou que, a partir deste fim de semana, o país vai ter casa aberta para todas as pessoas elegíveis. Para este primeiro fim de semana, estavam agendadas cerca de 110 mil pessoas, um quarto do total da população elegível nestas idades, mas tendo em conta a afluência o vice-almirante acredita que o valor vai ser superado.

Voltando a sublinhar a importância da vacinação no combate à covid-19, o responsável considerou que o país está "a dar uma lição ao mundo", devido aos valores elevados de adesão ao processo vacinal. "A barreira do negacionismo é muito pequena em Portugal e ainda bem", afirmou aos jornalistas. Com o evoluir do processo, as autoridades esperam que "se manifeste a imunidade de grupo", mas mesmo que "não haja imunidade de grupo, o vírus terá menos espaço de manobra".

Sobre a decisão de os Açores começarem a administrar uma terceira dose às populações mais frágeis, Gouveia e Melo disse que Portugal continental ainda não está nessa fase, já que ainda há muitas primeiras doses a aplicar. "Temos cerca de um milhão de primeiras doses para dar, de forma a conseguir cobrir grande percentagem de elegíveis". Ainda assim, apesar de "não ser técnico de saúde", disse acreditar que no futuro fará sentido uma terceira inoculação da vacina.

Numa nota mais pessoal, Gouveia e Melo revelou que se sentiu "emocionado" com o depoimento de uma mãe que interrompeu as férias para poder vacinar o filho.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG