O Jogo ao Vivo

Bruxelas

Cidadãos sem influência nas políticas da Europa

Cidadãos sem influência nas políticas da Europa

Apesar de quererem, muitos cidadãos europeus não conseguem ter suficiente influência na política da União Europeia. Esta é uma das conclusões da Semana Europeia das Regiões e Cidades, que terminou esta quinta-feira em Bruxelas, onde a Europa prometeu abrir mais a porta aos jovens.

O número recorde de 17 mil participantes registado na 19ª Semana Europeia das Regiões e Cidades, um evento anual que terminou esta quinta-feira em Bruxelas, é revelador da vontade dos cidadãos em se envolverem nas decisões políticas da União Europeia. Contudo, um inquérito feito aos mesmos participantes também revelou que a maioria assume não dispor de veículos concretos de participação nas decisões.

"Estamos a pôr muita pressão nos Estados Membros e no âmbito do quadro 2021-2027 estamos a insistir para que haja uma maior relação na participação dos cidadãos", afirmou Elisa Ferreira, comissária europeia para a Política de Coesão e Reformas. Na sessão de encerramento da Semana Europeia, a comissária portuguesa sublinhou que "as mudanças precisam dos mais jovens, que podem ser atores e influenciar".

O presidente do Comité Europeu das Regiões, Apostolos Tzitzikostas, frisou que as cidades e as regiões "são o nível de maior proximidade para os cidadãos", que querem estar envolvidos, mas não dispõem de meios para o conseguir: "A culpa é deles? Não, é nossa. A única forma de o fazer é através das cidades e regiões". O grego assumiu que a Europa "tem de abrir as portas e as janelas para que entre este ar fresco", leia-se novos intervenientes, numa declaração corroborada por Elisa Ferreira: "Temos de envolver as pessoas"

A comissária europeia lembrou que "estamos numa altura especial" em que "a economia foi abaixo" mas precisa de recuperar com os planos de recuperação e resiliência e com o quadro comunitário 2021-2027. Elisa Ferreira avisou que os fundos "não devem ser um objetivo, mas um meio para o desenvolvimento" materializado na construção de uma Europa "mais verde, mais digital e mais coesa".

O inquérito feito aos participantes da Semana Europeia das Regiões e Cidades expôs ainda densas clivagens entre o processo de digitalização educativo e infraestrutural entre regiões urbanas e rurais, bem como entre países centrais e periféricos, para além de insistir na necessidade de intensificar o processo de educação para o ambiente e acelerar medidas concretas de descarbonização e incremento da sustentabilidade.

A Semana Europeia das Regiões e Cidades é o maior evento europeu dedicado à política de coesão e decorreu durante quatro dias em Bruxelas, sob o lema "Juntos pela Recuperação", dedicado aos temas da Coesão, Transição Verde, Transição Digital e Participação dos Cidadãos.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG