Balanço

As escolas que o novo coronavírus fechou de Norte a Sul do país

As escolas que o novo coronavírus fechou de Norte a Sul do país

A confirmação de casos de coronavírus entre alunos e suspeitas entre docentes ou pais de estudantes motivou o fecho de várias escolas em Portugal.

A Direção-Geral de saúde anunciou, no domingo, o fecho de todas as escolas de Lousada e Felgueiras. Nestes dois concelhos, os mais afetados pelo surto de coronavírus no Norte do país, foi determinado, ainda, o fecho de ginásios, bibliotecas, piscinas e cinemas. Os residentes naqueles dois concelhos do distrito do Porto foram aconselhados a evitar deslocações desnecessárias.

De domingo até esta quinta-feira, outras escolas anunciaram o fecho de portas. A mais recente foi a EB1, do Outeiral, em Arada, Ovar, frequentada pelo irmão de uma jovem de uma adolescente com um caso confirmado de Covid-19 em Santa Maria da Feira.

Esta quinta-feira, várias escolas privadas do ensino básico e secundário do Porto anunciaram o encerramento ou a suspensão de atividades.

Entretanto, o presidente da Câmara de Valongo, José Manuel Ribeiro, pediu o encerramento imediato de todas as escolas do concelho, face à confirmação de um caso de Covid-19 com ligações a uma escola valonguense.

No Porto, o colégio Osmope, na Rua de Costa Cabral, encerrou preventivamente todas as atividades devido à existência de dois pais de alunos em quarentena. "Não estão infetados, mas tiveram contacto direto com infetados, pelo que decidimos encerrar preventivamente", explicou fonte do colégio.

Na Maia, uma turma do primeiro ano da Escola Básica 1/JI foi colocada em isolamento preventivo, depois de se saber que o pai de uma criança tinha ido correr com um amigo, entretanto confirmado como um caso positivo de Covid-19.

A Câmara de Paços de Ferreira anunciou, esta quinta-feira, mantém a decisão de encerramento das escolas públicas, mas só o fará na segunda-feira. Dada a proximidade a Lousada e a Felgueiras e uma vez que dezenas de alunos, de professores e de colaboradores dos estabelecimentos de ensino do concelho têm residência naqueles dois municípios, a autarquia entende que devem ser tomadas medidas excecionais para evitar a propagação do surto epidemiológico de Covid-19.

Em Gondomar, a autarquia admitiu, na terça-feira, estar a equacionar a recalendarização das férias escolares, enquanto aguarda pela decisão do Conselho Nacional de Saúde Pública. Esta quinta-feira, o colégio Paulo VI anunciou aos pais e à comunidade educativa que vai encerrar portas já nesta sexta-feira, antecipando, assim, as férias da Páscoa e terminando com todas as atividades letivas.

No início da semana, foi anunciado o fecho de duas escolas em Portimão. Primeiro a secundária Manuel Teixeira Gomes, em Portimão, onde estuda uma adolescente, confirmada como o primeiro caso de coronavírus no Algarve. No dia seguinte foi encerrada a Escola Básica do 2.º e 3.º ciclo Professor José Buel, o estabelecimento de ensino em que dá aulas a mãe de uma adolescente de 16 anos que foi diagnosticada com Covid-19, no domingo. Segundo a autarquia de Portimão, há cerca de 1800 alunos sem aulas.

Na Amadora, estão fechadas duas escolas, Básica 2-3 Roque Gameiro e a Secundária da Amadora, depois de identificados dois casos de Covid-19 em alunos, um em cada estabelecimento de ensino.

O Liceu Francês, em Lisboa, vai suspender as aulas até 24 de março, depois de ter sido identificado um caso positivo de infeção de um aluno com o novo coronavírus.

O Externato "As Descobertas", no Restelo, em Lisboa, informou os encarregados de educação que vai encerrar a partir desta quinta-feira, dia 12 de março.

O Colégio S. João, em Lisboa, suspendeu as atividades letivas e não letivas entre quarta e sexta-feira.

Nos municípios do Porto e de Lisboa, foram suspensas todas as atividades complementares à ação educativa,, como visitas de estudo e passeios promovidos pelo Município em escolas públicas".

Outras Notícias