Legislativas

Costa acusa PSD de promover "rutura de fundo" com o Estado Social

Costa acusa PSD de promover "rutura de fundo" com o Estado Social

O líder do PS dramatizou o discurso, esta quinta-feira, para afirmar que estas eleições serão "decisivas" para proteger "o nosso modelo de sociedade". Em Santarém, António Costa acusou a Direita de "propor uma rutura de fundo" com o Estado Social. Embora não tenha falado, desta vez, em maioria absoluta, voltou a pedir "estabilidade" aos portugueses.

"Estas eleições são mesmo decisivas", afirmou Costa, perante uma sala cheia. "Estamos a jogar não só os próximos quatro anos, mas também o futuro do nosso modelo de vida em sociedade", referiu.

Segundo o secretário-geral socialista, a ameaça trazida pelas ideias da Direita "começa logo na Segurança Social (SS)", área em que o PSD "não tem pejo" em admitir que quer implementar um "sistema misto".

"Não brinquemos com coisas muito sérias", frisou Costa. "Todos vimos o que aconteceu a milhões de famílias dos Estados Unidos quando, em 2008, perderam as suas poupanças porque, em vez de terem um sistema misto, as confiaram ao jogo do mercado", alertou.

Na Saúde não será diferente, prosseguiu o líder do PS. Acusando o presidente do PSD, Rui Rio, de querer rever a Constituição para "alterar só uma frase" relativa ao SNS, atirou: se assim for, "o que verdadeiramente fica lá escrito" é que este passa a ser "tendencialmente pago".

Crítica ao PAN numa região com tradição de touradas

Alexandra Leitão, ministra da Modernização do Estado e cabeça de lista por Santarém, discursou minutos antes de Costa. E mostrou-se alinhada com o secretário-geral, pedindo "uma solução estável para quatro anos".

PUB

O Ribatejo pode dar um contributo para a maioria absoluta que o PS deseja: "Sim, vamos eleger o quinto deputado por Santarém!", incentivou a candidata.

Numa região historicamente favorável às touradas, o comício trouxe também uma crítica ao PAN, feita logo pelo primeiro orador. Pedro Ribeiro, presidente de Câmara de Almeirim e mandatário da candidatura em Santarém, avisou Costa quanto a futuras soluções de governabilidade: os animalistas, partido ao qual o primeiro-ministro já admitiu vir a recorrer para governar, foram classificados pelo autarca como "urbano-depressivo ". Ficou o alerta para o secretário-geral, no caso de o PS falhar a desejada maioria absoluta.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG