Estado de emergência

Costa apela a "maior consenso possível"

Costa apela a "maior consenso possível"

"Temos mesmo que tomar" medidas "mais restritivas" para travar a disseminação da pandemia, diz primeiro-ministro. Depois de ouvir os partidos, António Costa apelou ao "maior consenso possível" quanto às regras para o próximo estado de emergência.

Ao início da tarde deste sábado, o primeiro-ministro notou, no Twitter, que os números de novas infeções "são preocupantes" e que "todos os esforços são poucos para controlar a pandemia". Por isso, apelou ao "maior consenso possível" para as "medidas mais restritivas" a tomar, depois de ouvidos os especialidades em saúde pública e os epidemiologistas.

O encontro entre os decisores políticos e os peritos, no Infarmed, deverá ter lugar na terça-feira, e, na quarta-feira, a Assembleia da República já reservou a tarde para dar luz verde à renovação do estado de emergência. No dia seguinte, o Conselho de Ministros deverá aprovar novo decreto que regulará o funcionamento da economia e da sociedade durante as duas semanas seguintes.

O atual estado de emergência termina no dia 15, sexta-feira.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG