O Jogo ao Vivo

Debate

Costa contra "mentiras" do PSD, Rio quer pôr fim à "pancada" na classe média

Costa contra "mentiras" do PSD, Rio quer pôr fim à "pancada" na classe média

António Costa acusou Rui Rio de recorrer a "mentiras" para denegrir o crescimento económico do país. No "day after" do debate com o presidente do PSD, o líder do PS acusou o adversário de querer descer o IRC a todas as empresas, "independentemente" do investimento que fazem ou dos salários que pagam. Rio afirmou ter ganho o debate e disse querer pôr fim à "pancada" que o Governo dá à classe média.

O líder do PSD entende que, embora o debate não tenha sido "decisivo", foi ele quem esteve melhor. E aponta as "notórias dificuldades" de Costa: "A prova mais evidente é que tentou arranjar uma polémica em torno da classe média", afirmou, referindo que o socialista tem "a noção exata" de que esse é "o setor da sociedade que está mais contra" o atual Governo.

"Ele percebe isso e tentou inventar uma rábula em torno da classe média", afirmou o líder laranja."Percebeu que, no debate, não conseguiu vincar grandemente as suas opções", insistiu Rio, defendendo que o facto de o salário médio rondar os mil euros mostra que a classe média é "fraca".

Costa respondeu acusando Rio de recorrer a "meias-verdades que se transformam em mentiras". Lembrando que o líder do PSD se referiu, no debate, à elevada carga fiscal, defendeu que esta é hoje mais alta "porque o desemprego foi reduzido para metade" e os salários subiram, aumentaram as contribuições para a Segurança Social (SS).

Rio quer dar "calote" na TAP?

Costa garantiu que, caso vença as eleições, o país "não tem de esperar" pela descida doIRS confiando na aprovação do Orçamento do Estado. Em sentido contrário, alegou que a prioridade do PSD é a descida do IRC para todas as empresas, independentemente do que façam em termos de investimento, salários ou contratação coletiva.

Costa também acusou o PSD de querer pôr a classe média a pagar pelo SNS e de impulsionar "aventureirismos" na SS, como colocar metade das contribuições num "mecanismo de capitalização". Rio disse que Costa "tentou criar um caso" mas falhou, lembrando que o PSD também quer um SNS "tendencialmente gratuito".

PUB

Ontem, Rio defendeu ainda que a TAP deveria fechar, criando-se "uma companhia nova de raiz". A resposta do Governo chegou pelo ministro das Infraestruturas;Pedro Nuno Santos: "A solução de Rui Rio é que a TAP, empresa com 50% de capital público, "enfiasse" um calote a todos os credores, incluindo empresas portuguesas", escreveu, nas redes sociais.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG