Autárquicas

Costa diz que seria "tragédia" municípios terem PSD ou PCP no Governo

Costa diz que seria "tragédia" municípios terem PSD ou PCP no Governo

O secretário-geral do PS, António Costa, apontou esta sexta-feira a "tragédia que seria para os municípios liderados pelo PCP e pelo PSD se eles estivessem no Governo", considerando que a desvalorização que os dois partidos fazem do PRR é "completamente absurda".

Falando numa arruada no Chiado, onde desceu acompanhado pelo atual autarca de Lisboa, Fernando Medina, que se recandidata a um segundo mandato, António Costa afirmou aos jornalistas que os "outros partidos parece que desistiram de dar execução ao Plano de Recuperação e Resiliência (PRR)".

"Eu às vezes oiço-os e só imagino a tragédia que seria para os municípios liderados pelo PCP e pelo PSD se eles estivessem no Governo, porque a desvalorização que fazem do PRR é completamente absurda", salientou.

Tendo parado duas vezes durante a arruada para falar com os jornalistas, o secretário-geral do PS frisou que, durante a campanha, preferia que todos "tivessem estado mais focados em discutir as propostas para o futuro do país, de cada um dos municípios, de cada uma das freguesias, e menos com questiúnculas entre os partidos".

"Porque o que interessa aos cidadãos não é o debate entre os partidos, é as propostas que cada um tem a apresentar aos cidadãos, e acho que é a campanha que nós temos feito em todo o país, explicando a oportunidade única que o país neste momento tem [com o PRR], e que temos de saber agarrar", referiu.

Questionado pelos jornalistas se esta é a sua última campanha como líder do PS, António Costa respondeu: "Última campanha? `Naaa´, ainda temos muitas campanhas pela frente!"

Fazendo um balanço da sua própria campanha, António Costa referiu que ficou "marcada por propostas na habitação, na mobilidade, no combate às alterações climáticas, na área da saúde, da educação e com a concentração no aproveitamento pleno do PRR".

PUB

"Temos de pôr as mãos à obra para não desperdiçarmos esta oportunidade extraordinária de transformar o nosso país e de o país poder ser mais sustentável, mais moderno, mais produtivo, cada vez mais internacionalizado. É para isso que vamos trabalhar e é para isso que precisamos de bons autarcas para trabalharmos em conjunto", referiu.

Numa arruada onde António Costa desceu com Fernando Medina o Chiado, passou pela praça do Rossio e terminou o percurso no arco da Rua Augusta, o secretário-geral afirmou que a ação de campanha em plena baixa lisboeta é uma "demonstração tradicional da força do PS e do grande apoio da cidade de Lisboa ao Fernando Medina".

Vitória em Lisboa é fundamental para a estratégica política nacional

Costa advertiu que um triunfo nas eleições deste domingo da coligação liderada pelo PS em Lisboa é "fundamental" para dar continuidade às mais importantes políticas nacionais, como a habitação e os transportes.

Após cerca de 40 minutos de uma arruada debaixo de um sol forte, que partiu, como sempre, da Praça Camões e passou pela rua do Carmo, António Costa, já na rua Augusta, subiu a um palco improvisado e dirigiu breves palavras a algumas centenas de apoiantes socialistas e do Livre. Um discurso em que procurou destacar aquilo que está em causa nas eleições de domingo.

"É fundamental uma grande vitória de Fernando Medina e da coligação no próximo domingo. Lisboa é fundamental para termos sucesso nas grandes prioridades das políticas definidas, a começar por mais habitação acessível", declarou o líder socialista.

António Costa observou que o desafio da habitação "é nacional, mas em que a capital do país é absolutamente essencial", disse.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG