Porto

Costa é "empata" e Montenegro não quer PSD muleta

Costa é "empata" e Montenegro não quer PSD muleta

António Costa "é um empata" que "viveu quatro anos à custa da herança do Governo anterior e quer viver estes quatro anos a empatar e a empurrar os problemas para a frente". Foi assim que Luís Montenegro, candidato à liderança do PSD, definiu o primeiro-ministro, num comício no Porto.

"António Costa empata tempo, decisões, soluções, investimento público", enumerou Luís Montenegro.

"Costa empata filas de espera, porque não acredita que serviço público também integra a prestação pelo setor privado ou social. Serviço público é resolver o problema do cidadão", declarou.

"Falta pessoal nas escolas. Costa empata alunos porque remete o assunto para as Finanças para Centeno cativar milhões", continuou.

"Costa empata a habitação para jovens, acena com mais impostos sobre o património e afugenta investidores do mercado de arrendamento", adicionou.

Montenegro acusou, ainda, o líder do Governo de empatar os jovens licenciados, apontando que 12640 emigraram em 2018, mais 3527 do que em 2017 e mais do que no tempo da troika.

"Para estimular o uso de transportes públicos, Costa empata: dá o passe único com uma mão e tira composições de metro, de comboio e barcos no Tejo e o serviço é cada vez pior. Costa empatou porque, por complexo ideológico e conluio com o PCP, reverteu a reforma dos transportes nas áreas metropolitanas", rematou.

O candidato a líder do principal partido da oposição - corrida onde estão também Rui Rio e Miguel Pinto Luz - concluiu que "não podemos ser cúmplices de um primeiro-ministro que empata", voltando a agulha das críticas para o atual líder do PSD.

"É do interesse nacional que o PSD seja a alternativa e não a muleta do PS", gritou, criticando o "conformismo" do partido.
Tal como o JN noticiou, Montenegro anunciou os mandatários nacionais - o gestor Luís Reis e a líder da JSD, Margarida Balseiro - e também o apoio à recandidatura de Marcelo Rebelo de Sousa à Presidência da República. Traçou um plano de ação para o mandato a que se candidata: apoiar o PSD Açores nas regionais de 2020; coordenar o processo eleitoral das eleições autárquicas de 2021; e apontar já para a liderança do Governo em 2023.

No comício que se realizou na Alfândega do Porto, Montenegro contou com apoiantes como o ex-presidente da Câmara Municipal da Maia, Bragança Fernandes, Emídio Sousa, atual presidente da Câmara de Santa Maria da Feira e ex-presidente da Comissão de Coordenação da Região Norte, Leitão Amaro, que foi secretário de Estado da Administração Local no governo de Passos Coelho, ou Nuno Camilo, ex-presidente da Associação de Comerciantes do Porto, entre centenas de outros.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG