Comissão Nacional

Costa: Única ideia da Direita para as autárquicas é "atacar" PS

Costa: Única ideia da Direita para as autárquicas é "atacar" PS

O secretário-geral do PS, António Costa, afirmou este sábado que PSD e CDS não apresentaram "uma única ideia sobre a recuperação do país" na preparação para as eleições autárquicas. Para o socialista, estes dois partidos apenas se coligaram pela vontade mútua de "atacar o PS e enfraquecer o Governo".

"Ainda esta semana vimos o líder do CDS e o líder do PSD a anunciarem uma grande coligação. E uma coligação para quê? Para servir Portugal? Para responder aos problemas dos portugueses? Para servir a nossa terra? Não. Eles disseram que a grande coligação que iam fazer só tinha um objetivo: atacar o PS e enfraquecer o Governo", criticou Costa.

Na abertura da Comissão Nacional do PS, que decorre por videoconferência, o líder socialista sublinhou a "diferença fundamental" que, no seu entender, opõe os socialistas e a Direita: "Não andamos aqui a concorrer contra os outros, mas sim porque temos um programa, projetos e vamos ter os melhores e as melhores candidatas", disse.

Costa critica "jogadas políticas"

Para António Costa, "em vez de perceberem" que o país vive uma "situação dramática", PSD e CDS apostam unicamente em derrubar o PS e o Executivo. "A última coisa de que os portugueses querem ouvir falar é de jogadas políticas e de coligações contra o PS e o Governo que não se interessam nada pelos problemas dos portugueses", referiu.

O também primeiro-ministro disse que os portugueses "podem estar tranquilos" quanto ao rumo a seguir pelos socialistas. "O PS não se distrai nem confunde objetivos e prioridades. A nossa prioridade não é combater o CDS, o PSD ou quem quer que seja. O nosso objetivo é só um: servir Portugal e os portugueses em cada terra".

PUB

O líder socialista quer que o congresso do partido, marcado para 10 e 11 de julho, lance as bases para que o PS "continue a ser o maior partido autárquico" do país nas eleições de setembro/outubro. De modo a conseguir ter "os melhores e as melhores candidatas", Costa sublinhou que terá de haver uma "linha comum" entre a estratégia nacional e local.

"As candidaturas socialistas têm de estar focadas na recuperação do país, na proteção das pessoas, no combate as alterações climáticas, na resolução dos problemas estruturais do país, de acordo com a estratégia e os recursos de investimento que temos para a próxima década", afirmou.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG