O Jogo ao Vivo

Legislativas

Costa: voto no PS é "o único" que não dará palco à extrema-direita

Costa: voto no PS é "o único" que não dará palco à extrema-direita

O líder do PS afirmou, no final da arruada de Lisboa, que só o voto no seu partido é "certo e seguro". Visando o PSD, António Costa argumentou que os socialistas não têm um programa "escondido" e que nunca dependerão da extrema-direita para governar. Interrogado sobre a governabilidade, delegou no presidente da República a responsabilidade sobre a formação do novo Executivo.

"O voto no PS é o único que é certo e seguro", afirmou o secretário-geral socialista, esta sexta-feira, no final da Rua do Carmo. "É o único que não tem um programa escondido", insistiu, fazendo depois referência a propostas socialistas como o aumento dos salários, o reforço do SNS, a habitação acessível ou a descida do IRS "já este ano", embora mantendo sempre as "contas certas".

Perante os aplausos das largas centenas de apoiantes que acompanharam a caravana, Costa prosseguiu no apelo à mobilização para as eleições de domingo. "O voto no PS é o único, o único mesmo que, em circunstância alguma, dependerá, no que quer que seja, do apoio, da passividade ou da cumplicidade da extrema-direita", assegurou.

Nos últimos dias, o PS tem apostado forte na colagem do PSD ao Chega, defendendo que um eventual Governo de Rui Rio estará sempre "refém" do partido de André Ventura. Na véspera, Costa já tinha acusado os sociais-democratas de terem deixado cair as "linhas vermelhas" que tinham em relação à extrema-direita.

Quem irá governar? "O presidente da República decidirá"

Questionado sobre se, a partir de segunda-feira, vai "começar a trabalhar logo" numa solução governativa, Costa respondeu: "No domingo à noite vamos ver quais sãos os resultados. Em função dos resultados, o senhor presidente da República designará a quem cabe a iniciativa de formação do Governo e, em função disso, iremos trabalhar".

PUB

Perante a insistência dos jornalistas sobre se Marcelo Rebelo de Sousa irá escolher o partido mais votado para formar Governo, Costa atirou: "O senhor presidente da República decidirá". Até à meia noite de sexta para sábado, a palavra de ordem é continuar a mobilizar o eleitorado.

"Peço a todas e todos que, em consciência, decidam no sentido de nos darem força para continuarmos a avançar", apelou o secretário-geral do PS, aludindo a um dos slogans socialistas para esta campanha. Sobre Rio, deixou transparecer que considera o líder laranja demasiado confiante, por este ter dito que já tem o Governo quase fechado: "Cada coisa a seu tempo", respondeu Costa.

A tradicional descida do Chiado foi a última arruada da campanha, que termina esta sexta-feira. Às 21 horas, Costa participa no comício de encerramento no Pavilhão Rosa Mota, no Porto.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG