Presidenciais

Covid e baixo poder de compra fazem subir abstenção

Covid e baixo poder de compra fazem subir abstenção

Os concelhos com abstenção mais elevada nas presidenciais de domingo apresentam valores muito elevados de covid-19 e baixo poder de compra nas suas populações, segundo o portal de dados estatísticos EyeData.

Neste portal, os resultados eleitorais de cada candidato e da abstenção são divididos em três, permitindo ver qual o terço dos concelhos em que cada candidato ou a abstenção registou os resultados mais elevados, os mais baixos e o resultado médio.

Depois, é possível cruzar esses resultados com um vasto conjunto de variáveis económicas e sociais que permitem caracterizar, em termos médios, como são os concelhos onde os candidatos ou a abstenção registou os resultados mais e menos elevados.

Assim, é possível verificar que estes concelhos, onde a abstenção atingiu, em média, 65,01% contra os 60,51% registados a nível nacional, se caracterizam por terem registado quase o triplo dos casos de covid-19 que a média nacional: 9.621,39 casos por 100 mil habitantes contra uma média nacional de 3.236,99 casos. Estes dados referem-se aos últimos dados concelhios divulgados, na passada segunda-feira, dia 18, e reportam as incidências registadas nos 14 dias anteriores.

Mas não é apenas a covid-19 a caracterizar estes concelhos, o baixo poder de compra das suas populações é outra das marcas. Segundo os dados do EyeData, o poder de compra por habitante nestes concelhos apresenta um índice de 77,49 que compara com um valor de 100 a nível nacional, uma diferença superior a 20%.

O rendimento médio mensal auferido pelos trabalhadores por conta de outrem nestes concelhos também é inferior à média nacional: 978,64 euros contra 1.168,42 euros a nível nacional.

PUB

Os trabalhadores da Administração Pública Local nestes concelhos apresentam um peso maior que a nível nacional ao registarem um valor de 17,76 por cada mil habitantes contra um valor de 12,4 a nível nacional.

No caso dos concelhos com mais abstenção nas presidenciais de domingo é possível verificar ainda o seguinte:

Os resultados das últimas eleições legislativas de 2019 mostram que os locais que agora apresentam maiores níveis de abstenção são concelhos onde CDU, Iniciativa Liberal, Bloco de Esquerda, Chega, Livre e PAN apresentaram resultados abaixo daquilo que foram os seus resultados a nível nacional. Já o PS, PSD e CDS tiveram nestes concelhos resultados melhores que os obtidos a nível nacional.

Em relação às presidências de 2016, os resultados mostram que Edgar Silva (CDU), Marisa Matias e Vitorino Silva obtiveram nestes concelhos resultados abaixo do resultado nacional que conseguiram. Marcelo Rebelo de Sousa teve um resultado superior nestes concelhos ao resultado nacional.

A superfície de áreas protegidas nestes concelhos (12,18%) é superior à média nacional (9,91%), a área de Rede Natura 2000 é de 25,68% face aos 21,16% nacionais, a percentagem de resíduos urbanos preparados para reciclagem atinge os 30,72%, abaixo dos 50,17% da média nacional e a percentagem de alojamentos servidos por drenagem de águas residuais é de 74,87% contra um valor de 84,29% a nível nacional.

Estes concelhos têm uma densidade populacional muito abaixo da média do país: 42,83 habitantes por quilómetro quadrado face à média nacional de 111,62 habitantes por quilómetro quadrado.

A população estrangeira em percentagem da população residente é de apenas 3,81% quando a nível nacional é de 5,72%.

A população residente nestes concelhos é mais envelhecida que a média nacional. A população com mais de 65 anos representa 24,72% da população total e a nível nacional este valor é de 21,99%. Já a população com menos de 15 anos é inferior à média nacional tal como o número de filhos por mulher.

Os concelhos que registaram maior abstenção são menos escolarizados, apresentando uma percentagem de pessoas com mais de 15 anos que pelo menos concluíram o ensino secundário de 21,83% contra um valor de 30,53% a nível nacional.

Também ao nível dos empregadores que, pelo menos, têm o ensino secundário, estes concelhos apresentam valores abaixo da média nacional: 45,59% face a 53,23%.

Os concelhos de maior abstenção apresentam um valor de beneficiários com mais de 15 anos de rendimento mínimo ou de Rendimento Social de Inserção acima da média nacional: 3,84% face a 3,03%.

As camas em hospital por mil habitantes são de apenas 1,13 quando a média nacional é de 3,15. Já os centros de saúde por 100 mil habitantes atingem os 31,15 contra 15,31 de média nacional.

Os médicos por mil habitantes também ficam muito longe da média nacional ao atingir o valor de 2,51 contra 5,39 de média nacional.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG