Legislativas

Cravinho rejeita "especulações antes do tempo" sobre continuidade na Defesa

Cravinho rejeita "especulações antes do tempo" sobre continuidade na Defesa

O ministro da Defesa Nacional, João Gomes Cravinho, rejeito, esta quarta-feira, fazer "especulações antes do tempo" sobre a sua continuidade no cargo após as eleições legislativas antecipadas de janeiro, afirmando que não depende da sua vontade.

"Estou concentradíssimo em ser ministro da Defesa até às eleições de 30 de janeiro e as semanas que levarão à constituição de um novo governo. Sou candidato a deputado à Assembleia da República - tudo o mais ultrapassa a minha vontade", respondeu o governante, questionado pela agência Lusa sobre se gostaria de continuar no cargo, numa eventual vitória do PS nas eleições.

O ministro falava à margem da entrega do 1.º Prémio da Direção-Geral de Política de Defesa Nacional, que decorreu no Salão Nobre do Ministério da Defesa, em Lisboa.

Gomes Cravinho acrescentou que a sua vontade "está expressa em desempenhar as funções até ao final do mandato e em servir a população através do resultado das eleições". "Tanto ou mais não vale a pena estarmos com especulações antes do tempo", rematou.

A Comissão Política Nacional do PS aprovou na segunda-feira as listas de candidatos socialistas a deputados às próximas eleições legislativas com 83% dos votos favoráveis. Uma das principais novidades foi a inclusão de João Gomes Cravinho no segundo lugar da lista por Setúbal, que é encabeçada pela líder parlamentar socialista, Ana Catarina Mendes, e na qual já não entra o ex-ministro da Administração Interna Eduardo Cabrita.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG