Polémica

Criadores de galgos contra fim de corridas. "Correr está no ADN dos animais"

Criadores de galgos contra fim de corridas. "Correr está no ADN dos animais"

"Não é matá-los! É fazê-los felizes! O instinto deles é correr", diz, sem hesitar, Ricardo Moreira, criador de galgos. O bisavô tinha galgos, o avô e o pai também, Ricardo seguiu-lhes as pegadas. Em Portugal, serão 600 galgueiros.

Com galgos-ingleses - os únicos usados em corridas nacionais - serão cerca de 250. Negam doping, treinos violentos, choques elétricos e apostas de milhões e garantem que se as corridas forem proibidas, como querem PAN e BE, daqui a dez anos, "a raça mais antiga do Mundo desaparece do país".

"São cães atletas com instinto de perseguição. Correr está-lhes no ADN e até na estrutura física", explica Nuno Ferreira da Silva, da Federação Nacional de Galgueiros. À volta de Ricardo, impacientes, andam Dubai e Ninja. É hora de uma das quatro saídas diárias e eles, ainda que não usem relógio, "sabem". Nas jaulas, com cama, cobertores e tudo, têm ventoinha e música. Cá fora, um enorme jardim "por sua conta".

"Por causa deles, durmo cinco a seis horas por noite. É uma paixão!", frisa o agente da PSP de 35 anos, revoltado com as "acusações infundadas" de PAN e BE. E explica, uma a uma: choques elétricos para correr? "São tímidos e medricas. Se lhes desse um, nunca mais corriam". Treinos violentos com noras e passadeiras? "Isso não é verdade. Correr é a maior alegria deles, mas sempre ao ar livre. Ao domingo, é dia de corridas. Eles já sabem. Ninguém os segura nas jaulas". Doping? "Nunca. Comprimidos à base de magnésio e potássio para ajudar à recuperação. Todos os meus cães são dadores de sangue. Seriam logo "chumbados" pelo Banco de Sangue Animal". Milhões em apostas? "Já tinha um Ferrari à porta! No máximo, uma taça a cada corrida. Já ganhei tudo e só tenho despesa". Abandono dos que já não correm? "Mentira. Os galgos de corrida têm todos chip e tatuagens nas orelhas. É fácil chegar ao dono".

Ricardo é da Póvoa de Varzim e um dos mais premiados criadores do país. O único a ter vencido o campeonato nacional com um cão "nascido e criado em Portugal" e a fazer o pleno (vencer nas três categorias). Chegaram a ser seis irmãos na final. Thor foi campeão. Agora, é o pai das ninhadas de sucesso. Aos dez anos, tem "vida de rei". Não compete, mas adora correr. Mal sai da jaula, dispara, alheio à conversa, às fotografias e às festas.

O criador lamenta que quem defende o fim das corridas tenha sempre recusado o convite para visita. "Não querem ver a verdade", garante.

PUB

Ingleses a correr - É a mais antiga raça canina do Mundo. É um cão esguio, de tipo lebréu, historicamente usado na caça. Em Portugal, apenas o galgo-inglês - o greyhound - é utilizado em corridas. O galgo-espanhol é usado na caça à lebre.

Treino em tapetes - Em países como a Inglaterra ou a Irlanda, as corridas de galgos são profissionais. Há apostas de milhões e cães a treinar em tapetes. Em Portugal, o desporto é amador e prémios, só mesmo a taça.

Razões para proibir - PAN e BE querem proibir as corridas. Argumentos: os treinos violentos, os choque elétricos, doping, abandono dos que já não servem e apostas ilegais.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG