Covid-19

CUF e Luz Saúde garantem disponibilidade para acolher doentes do SNS

CUF e Luz Saúde garantem disponibilidade para acolher doentes do SNS

Os grupos privados que detém os hospitais CUF e Luz Saúde garantem ter disponibilidade para receber doentes covid e não-covid do Serviço Nacional de Saúde. Uma posição contrária à transmitida ontem pelo presidente da ARS de Lisboa e Vale do Tejo.

"A informação de que os grupos privados, nomeadamente a Luz Saúde, não demonstraram interesse em receber doentes covid do SNS não corresponde à verdade", refere em comunicado o grupo Luz Saúde, garantindo que têm "capacidade para receber doentes covid-19 e não covid."

A reação surge após as declarações do presidente da Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo depois de uma reunião com a Associação Portuguesa de Hospitalização Privada (APHP) e representantes de grupos que detém hospitais privados. Luís Pisco referiu que todos os intervenientes mostraram não ter disponibilidade para acolher doentes covid da região.

Também "a CUF reafirma a sua disponibilidade para continuar a apoiar o SNS nas duas dimensões, doentes covid e não-covid, de forma complementar e supletiva, de acordo com a sua capacidade, a qual está a ser avaliada".

Após as declarações de Luís Pisco, a APHP negou que os hospitais se tivessem negado a receber doentes covid. O que foi pedido, dizem, foi planeamento e não soluções avulsas.

A APHP referiu ainda que "ficou definido que a ARS realizaria um plano que incluiria as necessidades e solicitações do SNS, bem como os termos em que os hospitais privados poderiam colaborar com as unidades públicas de saúde".

Mas Luís Pisco disse ao JN que tal levantamento parece já não fazer sentido uma vez que os grupos se mostraram indisponíveis para receber doentes covid e porque não há, de momento, necessidade de transferir doentes não-covid.

Em comunicado, o grupo Luz Saúde esclarece que não esteve presente na reunião com a ARS de Lisboa e Vale do Tejo e que apenas foi contactado diretamente "há cerca de duas semanas pela ARS Norte, que questionou o Hospital da Luz Arrábida genericamente sobre a sua capacidade de internamento covid e não covid".

"Sobre a nossa capacidade de camas e recursos, a resposta depende das necessidades concretas que o Estado identificar e que variam naturalmente de região para região", acrescenta.

Audiência com o secretário de Estado

O grupo refere que terá uma audiência nos próximos dias com o secretário de Estado da Saúde, Diogo Serras Lopes, da qual espera "uma clarificação relativamente às necessidades concretas do SNS" e sobre "como o Grupo Luz Saúde pode integrar o plano de contingência do Ministério da Saúde em cada momento".

Em resposta ao JN, a CUF lembra que tem estado "desde o primeiro momento ao serviço do país, apoiando o SNS no combate à pandemia, quer com o tratamento de doentes com covid-19, quer com o reforço na resposta aos cuidados de saúde gerais da população".

E acrescenta que, atualmente, os hospitais CUF, em Lisboa e Porto, têm treze doentes internados com covid-19, tendo internado, desde o início da pandemia, 173 doentes com a mesma patologia.

Outras Notícias