Conferência JN

"Cultura também pode ativar a economia"

"Cultura também pode ativar a economia"

Diretor Regional da Cultura do Norte defende um modelo de recuperação económica ativado pelo património e pelas pessoas da região.

A cultura são pessoas, tempos e lugares e o Norte é rico em oferta que pode dinamizar a recuperação económica da região. António Ponte, diretor Regional da Cultura do Norte, explicou como a cultura não é algo supérfluo que se cria em tempos de prosperidade, mas pode ser a ferramenta com se reergue o país.

"Temos centrado a cultura na ativação do turismo, mas também pode ativar a construção civil, a regeneração do património, a investigação científica nas universidades e nos politécnicos e nas indústrias criativas", enumerou, na conferência JN dedicada a "Os Caminhos da Recuperação Económica em Portugal: Hipóteses a Norte".

O responsável lembrou que "vêm aí novos turistas, novas formas de visitar", em que o foco será a segurança dos locais ou dos eventos, o cumprimento das regras sanitárias e o cuidado com o fator psicológico.

A cultura pode ligar e estimular diversos setores, sendo capaz de diferenciar Portugal como destino turístico, por exemplo, ao conjugar arquitetos de renome, escritores, a indústria da moda e do design, o marketing, o património cultural (desde igrejas a mosteiros) e, claro, a gastronomia e os vinhos, a par dos eventos culturais e de animação.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG