Simplex+

Depois de uma vaca voadora, Governo aposta no robô Lola

Depois de uma vaca voadora, Governo aposta no robô Lola

O ano de 2018 traz novas medidas e melhoria de outras conhecidas. Loja do Cidadão do Porto acolherá Lola, o primeiro robô humanoide funcionário público. Acesso a prestações sociais vai ser facilitado.

Quando parece que mais nenhuma novidade surpreendente poderia vir do Simplex, eis que a nova versão do programa de agilização administrativa do Estado traz consigo uma medida que pode revolucionar o funcionalismo público: um robô humanoide vai-se estrear no atendimento ao público.

Lola será a primeira funcionária pública automatizada, que terá o seu rosto conhecido já no primeiro trimestre de 2019. A robô, com aspeto humano mas de rodinhas, irá torna-se numa assistente pessoal na Loja do Cidadão do Porto, o espaço escolhido pelo Governo, que hoje apresenta esta e outras medidas do Simplex+ 2018, no Pátio da Galé, em Lisboa.

Além de Lola, que deve o nome à Loja do Cidadão das Laranjeiras - a primeira do país e que assinala 20 anos em 2019 -, a nova versão do programa de modernização dos serviços públicos traz outras tantas medidas, como a "Parentalidade + Simples", que pretende simplificar o acesso às prestações parentais, ou o "Pensões + Simples", que poderá diminuir as habituais queixas no pedido de pensões, ao disponibilizar no site Segurança Social Direta ferramentas para a entrega de processos e o acompanhamento dos mesmos.

Segundo a ministra da Presidência e da Modernização Administrativa, o "fio condutor do novo Simplex" é "continuar a facilitar a linha da vida dos portugueses" e "revisitar medidas que necessitam de ser modernizadas". Por outro lado, "a inteligência artificial abriu oportunidades que são aproveitadas pelo programa", explicou ao JN Maria Manuel Leitão Marques.

Não vai roubar lugares

"A Lola trata-se desse passo, que é importante dar, aproveitando o melhor que nos pode dar. Essa robô torna o acesso à Loja do Cidadão do Porto mais simples, intuitivo e onde o cidadão é encaminhado para o serviço pretendido. A Lola terá ainda computadores que resolvem pequenas situações - como sugerir o agendamento online de uma marcação", revelou ao JN a governante, a quem o primeiro-ministro entregou uma vaca voadora, na apresentação do Simplex de 2016, como prova que não há medidas impossíveis.

Leitão Marques salvaguarda que o robô não ameaçará o trabalho de ninguém. "Há coisas muito importantes para dar aos funcionários públicos, que não se resuma a: "vá para ali, vá para acolá". São rotinas que as máquinas podem fazer. Precisamos de funcionários que atendam de forma personalizada os cidadãos, que lhes expliquem os serviços, com uma linguagem clara, para que percebam toda a informação. Isso só um humano pode fazer", apontou.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG