Universidade do Porto

Descoberta molécula que permite às plantas lidarem com stress climático

Descoberta molécula que permite às plantas lidarem com stress climático

Um estudo realizado por investigadores da Universidade do Porto revelou como as plantas conseguem lidar com as diferentes condições ambientais. A investigação identificou uma molécula que é essencial para o controlo das respostas das plantas e que, estando ativa, não permite alterações e desregulações no comportamento.

O estudo foi realizado pelo Centro de Investigação em Biodiversidade e Recursos Genéticos, InBIO Laboratório Associado da Universidade do Porto (BIOPOLIS/CIBIO-InBIO), em parceria com várias instituições, e ajudou a compreender de que forma as plantas respondem em certas condições ambientais. Publicado na revista "Plant Physiology", o estudo avançou que uma molécula chamada "Small Ubiquitin-Like Modifier" (SUMO) é essencial para as respostas das plantas ao stress climático.

Em condições de stress ambiental, tais como temperaturas extremas ou salinidade, as plantas produzem compostos químicos que conduzem a certos comportamentos e que podem alterar e desregular o desenvolvimento da planta. A molécula funciona como um interruptor: quando é "ligada", torna-se fundamental para que as plantas mantenham os níveis de compostos químicos controlados, que interferem com a sua resposta nestas situações. Assim, permite um crescimento e um desenvolvimento saudável. Esta molécula é essencial para a sobrevivência de um ser vivo e, quando está "desligada", provoca alterações no comportamento do organismo, o que pode levar a doenças degenerativas, como o cancro, diz ao JN o investigador Pedro Humberto Delgado, coordenador do estudo.

PUB

A investigação concluiu também que estes compostos químicos são mais que meras moléculas tóxicas. Desempenham várias funções que são vitais para os seres vivos, como a forma correta de crescimento.

As plantas são os seres vivos que mais sofrem com as alterações climáticas, pelo facto de se encontrarem imóveis e estarem constantemente expostas às condições proporcionadas pelo ambiente. Não tendo alternativa, as plantas precisam de responder com estratégias para se adaptarem aos diferentes fatores. Para além disso, as alterações climáticas têm um grande impacto também no bem-estar e nutrição, ao afetarem a qualidade dos produtos.

A descoberta poderá ser fundamental para a pesquisa aprofundada de plantas mais tolerantes aos stresses que são consequência das alterações climáticas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG