Saúde

DGS quer "coadministração" de vacina da gripe e terceira dose contra a covid

DGS quer "coadministração" de vacina da gripe e terceira dose contra a covid

A Direção-Geral da Saúde (DGS) está à espera do parecer da Organização Mundial da Saúde (OMS) relativamente à administração simultânea da vacina da gripe e da terceira dose contra a covid-19.

Graça Freitas afirmou esta sexta-feira que a DGS está à espera do documento da OMS para saber se é possível tomar as duas vacinas, gripe e covid-19, em simultâneo. Caso não seja, o intervalo entre as duas vacinas será de 14 dias.

Apesar de não ser certo que o relatório da OMS seja conhecido hoje, a DGS vai publicar a norma ainda esta sexta-feira. "A coadministração seria ótimo para as pessoas se vacinarem com as duas inoculações, em vez de irem duas vezes [ao centro de vacinação]", disse a diretora-geral da Saúde.

O local para receber a vacina poderá ser num centro de vacinação ou centro de saúde, estando dependente da dimensão populacional e dos próprios agrupamentos de Saúde.

Desde o dia 27 de setembro, houve cerca de 130 mil inoculações contra a gripe, sendo que 63 mil foram administradas em pessoas com 80 ou mais anos. "O país nunca teve tantas vacinas contra a gripe", disse Graça Freitas, revelando que dois milhões de doses pertencem ao SNS e cerca de 700 mil ao setor privado.

A terceira dose da vacina contra a covid-19 arranca esta segunda-feira, 11 de outubro, para os maiores de 65 anos. A prioridade será dada aos maiores de 80 anos e aos residentes em lares ou unidades de cuidados continuados.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG