Covid-19

Vacina da AstraZeneca será dada a pessoas acima dos 60 anos

Vacina da AstraZeneca será dada a pessoas acima dos 60 anos

Portugal segue os passos dados esta semana por países como Espanha e Holanda e prepara-se para impor uma restrição etária à vacina da AstraZeneca.

A Direção-Geral da Saúde deverá ainda hoje recomendar que a vacina da AstraZeneca contra a covid-19 seja usada apenas em pessoas com 60 anos ou mais, apurou o JN. A alteração dos critérios surge depois de a Agência Europeia do Medicamento (EMA) ter admitido uma relação de causalidade (embora rara) entre a toma da vacina e a formação de coágulos no sangue dentro de duas semanas após a vacinação.

Entretanto, a Direção-Geral da Saúde, o Infarmed e a task-force para a vacinação anunciaram, para as 18.30 horas, uma conferência de imprensa com atualização da informação sobre a vacina da AstraZeneca.

Fatores de risco ainda por conhecer

Uma circular informativa publicada esta quinta-feira pelo Infarmed, sobre as conclusões da mais recente reunião do comité do regulador europeu que avalia os efeitos da vacina, dá conta de que os 62 casos de trombose dos seios venosos cerebrais e os 24 casos de trombose esplâncnica, 18 dos quais fatais, detetados até 22 de março ocorreram em pessoas com menos de 60 anos. Saliente-se que, até à mesma data, tinham sido vacinadas cerca de 25 milhões de pessoas na Europa, pelo que fica evidente, como já tinha esclarecido a EMA, que os benefícios superam os riscos.

Os casos relatados à EMA através do sistema de farmacovigilância dos países da União Europeia aconteceram em veias do cérebro, do abdómen e trombose arterial, acompanhados por baixos níveis de plaquetas, alguns deles com hemorragia. Ocorreram maioritariamente em mulheres com menos de 60 anos nas duas semanas seguintes à vacinação, "não sendo possível, até ao momento, a definição de fatores de risco específicos", diz o Infarmed.

PUB

Embora a possibilidade de surgimento dos coágulos seja "muito baixa", a autoridade nacional do medicamente aconselha as pessoas que tenham sido vacinadas com a AstraZeneca a procurarem assistência médica caso sintam, sobretudo nas primeiras duas semanas, alguns dos sintomas seguintes: falta de ar, dor no peito, inchaço nas pernas, dor abdominal persistente, dores de cabeça persistentes, visão turva ou pequenas manchas de sangue sob a pele em locais que não o da inoculação.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG