Congresso do PSD

Direção de Rio já mexe: Sarmento e Fraga apontados para tribunal do PSD

Direção de Rio já mexe: Sarmento e Fraga apontados para tribunal do PSD

Os vice-presidentes do PSD Nuno Morais Sarmento e Elina Fraga poderão estar de saída do núcleo duro de Rui Rio para liderarem uma lista ao Conselho de Jurisdição Nacional do partido, até agora presidido por Nunes Liberato.

Rui Rio estará a preparar-se para lançar cartas fortes para continuar a ter na mão o Conselho de Jurisdição Nacional (CJN), como nos últimos dois anos, com Nunes Liberato a liderar este órgão disciplinar do partido.

O JN apurou que Nuno Morais Sarmento e Elina Fraga, até agora vice-presidente do PSD, são fortes hipóteses como candidatos àquele tribunal social-democrata, que nos últimos dois anos foi confrontado com casos polémicos, como a refiliação de ex-militantes, como António Capucho e Marco Almeida.

Refira-se que, a par de Sarmento e Fraga, José Bolieiro também estará de saída da direção, para se dedicar à candidatura às Regionais dos Açores.

Porém, nas hostes rioístas haverá receio sobre qual a reação que o nome de Elina Fraga possa suscitar aos delegados, caso fosse o nome a liderar a lista ao CJN, tendo em conta os anticorpos que antiga bastonária da Ordem dos Advogados provocou, durante o Governo PSD/CDS, ao cerrar fileiras nessa altura contra a então ministra da Justiça Paula Teixeira da Cruz e o primeiro-ministro Passos Coelho.

Aliás, por esse passado que a persegue e que muitos social-democratas tendem a apontar-lhe, Elina Fraga foi apupada no Congresso de janeiro de 2018, quando subiu ao palco da FIL, em Lisboa, para tomar posse.

Daí que, sabe o JN, Nuno Morais Sarmento possa encabeçar essa lista, com Elina Fraga em segundo.

Para o CJN há já uma candidatura anunciada: Paulo Colaço, o ex-membro deste órgão que se demitiu contra o presidente da Mesa do Congresso, Paulo Mota Pinto, há um ano, quando Luís Montenegro desafiou Rio para um congresso extraordinário eletivo.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG