O Jogo ao Vivo

Exclusivo

Distanciar da meta de óbitos atrasa fim das restrições à covid-19

Distanciar da meta de óbitos atrasa fim das restrições à covid-19

País está agora nos 29,7 óbitos por um milhão de habitantes. Mortalidade pressiona faixa acima dos 80 anos. Analisando outros indicadores, situação está controlada, dizem peritos.

O aumento da incidência nas faixas etárias superiores inverteu a tendência decrescente da mortalidade por covid, afastando-nos do limiar de 20 óbitos por um milhão de habitantes que deverá ditar o levantamento das restrições. Concretamente, o fim do uso de máscaras em espaços fechados. Aquela métrica está, agora, nos 29,7/milhão, ainda em fase crescente. Contudo, sublinham os especialistas ouvidos pelo JN, importa olhar o conjunto dos indicadores. E estes mostram uma situação controlada. A decisão, essa, será sempre política.

Os cálculos do matemático Carlos Antunes apontam, a 29 de março, para 29,7 óbitos em 14 dias por um milhão. Numa subida média de "1,3% ao dia". Os dados desagregados por faixa etária de Óscar Felgueiras, que modela também a pandemia desde o seu início, mostram uma pressão nos mais de 80 anos. A média a sete dias calculada a 28 de março apontava para 17 óbitos, quando na semana anterior estava nos 15,3, num acréscimo de 11%. Já nos 70-79 anos registava-se uma descida de 14%.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG