O Jogo ao Vivo

Exclusivo

Doentes recusam sair das urgências mesmo com consulta marcada nos centros de saúde

Doentes recusam sair das urgências mesmo com consulta marcada nos centros de saúde

Maioria dos projetos de reencaminhamento dos doentes não urgentes para os cuidados primários falhou. Mas há hospitais a retomar as iniciativas.

Os projetos de reencaminhamento de utentes, com pulseiras azuis e verdes, das urgências para os centros de saúde, com consulta no próprio dia ou no dia seguinte, falharam. Essencialmente, porque os doentes recusam sair do local onde acreditam que terão melhor resposta ao seu problema. Ainda assim, há vários hospitais a manter ou a retomar as iniciativas para terem uma alternativa a quem não quer esperar horas para ser atendido.

Nos primeiros três meses deste ano, o Hospital de S. João convenceu apenas um doente a ir ao centro de saúde. No início, em janeiro de 2020, a adesão era superior, mas sempre muito aquém do esperado. "No primeiro mês encaminhávamos um doente a cada quatro dias", revela Nélson Pereira, diretor da Urgência do S. João.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG