Incidência

Dois concelhos com mais de 480 casos e 11 acima dos 240

Dois concelhos com mais de 480 casos e 11 acima dos 240

Cabeceiras de Basto e Odemira são os concelhos com mais novos casos de covid-19, 480 por 100 mil habitantes. No balanço semanal, aparecem ainda 11 municípios no patamar seguinte, acima das 240 infeções. Não há no entanto nenhum no nível mais alto, a partir dos 960.

Os dados desta sexta-feira da Direção-Geral da Saúde (DGS) relativos à incidência cumulativa verificada entres os dias 14 e 27 de abril mostram que apenas dois concelhos estão acima dos 480 casos de covid-19 por 100 mil habitantes. São eles Cabeceiras de Basto (531) e Odemira (562).

PUB

Este último, recorde-se, que vai ter duas freguesias com cercas sanitárias - S. Teotónio e Longueira/Almograve - a partir de amanhã, sábado, encontrava-se há uma semana no patamar dos 960 casos, o mais elevado. Esta semana não há nenhum município com números de infeção tão altos.

Cabeceiras de Basto subiu um patamar (estava no dos 240) desde a última avaliação e foi um dos concelhos que o primeiro-ministro, António Costa, enumerou na quinta-feira à noite como sendo um dos que correm risco de recuar no desconfinamento.

O relatório da DGS identifica ainda 11 municípios com mais de 240 casos. São eles: Aljezur, Coruche, Lagoa (Açores), Machico, Paredes, Porto Moniz, Resende, Ribeira Grande, Tábua, Tabuaço e Vila Nova do Campo. Sete destes localizam-se no continente.

Aljezur (465) e Resende (404) são dois dos concelhos que vão ter de recuar no desconfinamento. Coruche (298), Tábua (281) e Tabuaço (249), estão na lista de 27 concelhos em risco de regredir no desconfinamento, por estarem há duas avaliações consecutivas acima do patamar dos 120 casos por 100 mil habitantes.

O país entra no sábado em situação de calamidade e as avaliações pelo Governo vão passar a ser semanais, conforme anunciou também na mesma altura António Costa.

41 municípios acima da linha vermelha

Entre os 120 e os 239 casos por 100 mil habitantes encontram-se 28 concelhos, número que somado com os anteriores coloca 41 municípios acima da linha vermelha traçada pelo Governo para poderem prosseguir ou terem de recuar na reabertura. Ainda assim são menos dois do que na semana passada.

Destes 28, há 23 no continente que foram identificados pelo Executivo como estando em risco de descer: Alijó, Alpiarça, Arganil, Batalha, Beja, Boticas, Castelo de Paiva, Celorico de Basto, Cinfães, Fafe, Figueiró dos Vinhos, Lagos, Lamego, Melgaço, Oliveira do Hospital, Paços de Ferreira, Penafiel, Peniche, Peso da Régua, Ponte da Barca, Póvoa de Lanhoso, Vidigueira e Vila Real de Santo António.

Os restantes, à exceção de Carregal do Sal, já tinham sido alvo de medidas, como Portimão - que apesar de estar no nível dos 120 casos não avançou no desconfinanento - ou Miranda do Douro que se mantém no patamar em que se encontrava.

O Governo aprovou, ainda na quinta-feira, medidas transitórias de testagem, que estabelecem a "obrigação excecional e temporária de registo diário de trabalhadores de explorações agrícolas e do setor da construção" com a respetiva testagem. A indicativa legislativa destina-se a controlar de forma mais eficaz a ocorrência de surtos de covid-19 nos dois setores, como o que se está a verificar em Odemira.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG