Bullying

Dois terços dos alunos admitem agredir colegas

Dois terços dos alunos admitem agredir colegas

O projeto Violentómetro, presente em 132 escolas do continente e Açores, concluiu que 90% dos mais de 11 mil alunos inquiridos assumem praticar violência psicológica, 70% violência física, 11% violência física grave, nomeadamente ameaças com armas, e 2% violência sexual.

Não há escola à prova de bullying, garantem especialistas. Amanhã é Dia Mundial de Combate ao Bullying. O Ministério da Educação lançou este mês um plano para erradicar a violência das escolas.

"Os dados mostram que os comportamentos violentos parecem fazer parte do quotidiano da maior parte dos miúdos", sublinha o coordenador do projeto, Ricardo Barroso. Muitos alunos, assegura, não têm consciência que piadas agressivas, provocações, práticas de ridicularização ou de exclusão são comportamentos de violência psicológica. Essa "normalização" que tende a legitimar esses atos também é feita por adultos, alerta. É preciso intervir de forma contínua, "não bastam cartazes e ações esporádicas", insiste o professor da Universidade de Trás-os-Montes (UTAD).

Ler mais na edição impressa ou na versão e-paper