O Jogo ao Vivo

Nacional

Trinta detectives de novo na pista de Maddie McCann

Trinta detectives de novo na pista de Maddie McCann

A polícia britânica Scotland Yard colocará no terreno 30 detectives e gastará milhões de libras na investigação do caso Madeleine McCann, a criança inglesa de quatro anos que desapareceu da Praia da Luz, no Algarve, há quatro anos.

A abertura de uma nova investigação surge depois de o casal McCann ter escrito uma carta ao primeiro-ministro inglês, David Cameron, pedindo uma revisão independente do caso com base na convicção do comissário da Scotland Yard, Paul Stephenson, de que menina continua viva.

De acordo com fontes policiais citadas esta quarta-feira pelo jornal "The Daily Telegraph", alguns dos membros da equipa recém-criada estavam quase na reforma ou prestes a iniciar períodos de baixas voluntárias.

A investigação iniciada pela polícia portuguesa depois do desaparecimento de Maddie contou com a colaboração de agentes ingleses do condado Leicestershire e em 2008, por falta de provas.

Na semana passada, a Scotland Yard anunciou uma nova investigação, decisão criticada por desviar recursos policiais necessários para a resolução de outros casos.

Uma das dificuldades sentidas na altura pelos detectives ingleses, alguns dos quais ponderaram mesmo reformar-se, prende-se com o facto de a maioria da documentação sobre o caso encontrar-se escrita em português.

"Não está em causa fazer-se o possível para averiguarmos o que aconteceu a Madeleine McCann, mas calculo que polícia metropolitana não deve estar muito satisfeita", admitiu Lord Harris, da Autoridade Policial Metropolitana. "Envolveram-se de novo oficiais numa investigação complexa, em relação à qual não estão claras as possibilidade de sucesso, além de desviarem recursos da polícia que podiam ser usados para resolver outros problemas", acrescentou.