Nacional

Pais sentem culpa no desaparecimento de Maddie McCann

Pais sentem culpa no desaparecimento de Maddie McCann

Kate e Gerry McCann, os pais da pequena Madeleine desaparecida de um apartamento de uma estância turística na Praia da Luz, no Algarve, há mais de quatro anos, afirmaram que nunca deixarão de sentir culpa por aquilo que aconteceu.

Durante a entrevista ao El Pais, realizada após a apresentação do livro "Madeleine", num hotel de Madrid, baseado no diário que Kate escreveu após o desaparecimento da filha, o casal sustenta que nunca deixarão de procurar a filha.

"É intolerável, insustentável que nenhuma polícia do mundo esteja a procurá-la activamente", afirmou Gerry. E revelam que, de momento, estão a expor tudo o que se passou a uma equipa de investigadores privados. "Não rejeitamos a ideia de a encontrar viva", frisaram.

Gerry regressou ao seu trabalho como cardiologista no hospital de Glenfield, em Leicester, em Inglaterra. A esposa não. Continua empenhada em manter vivas as buscas pela filha.

Os outros dois filhos - Sean e Amelie - perguntam com frequência por Madeleine. "Já lhes explicámos que foi raptada, mas não se conformam", revelou Kate. "Vivemos uma vida normal e feliz, mas a nossa família não está completa", assegurou.

Revelaram que já gastaram cerca de três milhões de euros com detectives, um call-center multilingue para centralizar as chamadas telefónicas que possam fornecer pistas, viagens... O dinheiro é oriundo de doações, algumas feitas pelo dono da Virgin e por J.K.Rowling, a autora de Harry Potter.

"Nunca nos deixaremos de sentir culpados e arrependidos pelo que se passou. Se tivéssemos pressentido o mais pequeno perigo, teríamos agido de outra maneira, mas já nada mais podemos mudar. Temos que viver com tudo isso", salientou kate ao "El País".