Nacional

Quase metade das escolas tem média negativa no 6.º ano

Quase metade das escolas tem média negativa no 6.º ano

Quase metade das escolas (49,9%) do 2.º Ciclo tiveram média negativa tendo em conta os resultados nos dois exames. Mesmo assim foram menos 8% do que em 2012. O desaire nas provas afundou os agrupamentos públicos na listagem. O primeiro surge em 27.º lugar e volta a ser a Secundária Artística do Conservatório de Música de Calouste Gulbenkian, em Braga, que no ano passado ficou em 13.º. Só há cinco públicas nos primeiros 100 lugares do ranking.

Ao nível disciplinar, a Português a primeira pública também surge no 27.º lugar. É a Secundária Quinta das Flores, em Coimbra, que conseguiu média de 71,24 valores (em 100), bem acima da média nacional do exame que foi de 52. A média a Português, recorde-se, desceu sete pontos e a Matemática seis, de 54 para 48. Nessa disciplina, a melhor pública surge em 13.º lugar - é a Básica de Manteigas, que conseguiu uma média de 80.

Em termos distritais, dez distritos (entre 20, regiões autónomas e escolas no estrangeiro incluídas) conseguem médias positivas. Braga e Porto lideram essa lista, com médias de 53,27 e 53,16, respetivamente. Açores e Bragança tiveram as piores médias com 40,75 e 45,22.

Ou seja, apesar do desaire nos resultados dos exames - que levou o ministro a emitir um comunicado defendendo a urgência de se superarem dificuldades persistentes desde o 1.º Ciclo - mais escolas conseguiram média acima dos 70. Este ano, foram 61 estabelecimentos. Em 2012, 47.

No próximo ano, os alunos do 6.º fazem exame em maio e os que tiverem negativa terão aulas extra e segunda fase.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG