Nacional

Dioceses portuguesas acertam pastoral comum

Dioceses portuguesas acertam pastoral comum

A Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) lançou, em 2009, um novo e grande desafio apostólico: "Repensar juntos a pastoral da Igreja em Portugal". Já está em curso e em fase de recolha de propostas em todas as dioceses.

As propostas de cada diocese obedecerão às questões seguintes: "Igreja em Portugal, 'que vês na noite' da sociedade em que vives? Quais os sinais de Deus e os desafios para a tua missão? O que verdadeiramente precisam as pessoas de hoje, a nível espiritual e humano, e o que podes tu oferecer-lhes?". E, ainda, "Igreja em Portugal, que indicações ou rumores do Espírito encontras hoje em ti (experiências, carismas, dinamismos existentes...) a apontar-te o estilo de vida cristã e a 'nova maneira de ser Igreja' adequada aos tempos de hoje? Que caminhos pastorais te assinalam os sinais e os dons do Espírito para viveres e testemunhares o Evangelho de Cristo?".

A iniciativa inspira-se no convite que Bento XVI fez aos bispos na sua vista a Roma, em 2007: "É preciso mudar o estilo de organização da comunidade eclesial portuguesa e a mentalidade dos seus membros para se ter uma Igreja ao ritmo do Concílio Vaticano II, na qual esteja bem estabelecida a função do clero e do laicado, tendo em conta que todos somos um, desde quando fomos baptizados e integrados na família dos filhos de Deus, e todos somos co-responsáveis pelo crescimento da Igreja".

A CEP recebeu, em Abril de 2010, o instrumento de trabalho "Formação para a missão - Formação na missão", preparado pelos representantes das dioceses, aprovou-o e pô-lo a debate em itinerário sinodal. As Jornadas Pastorais dos bispos, em Junho de 2010, desenvolveram esse tema. Desde de Setembro do ano passado até Março próximo, o tema está a ser debatido e a recolher propostas nas dioceses. O Secretariado Geral do Episcopado sintetizará os contributos para que os representantes das dioceses os retomem e os apresentem às Jornadas Pastorais dos bispos em Junho próximo. Serão aprovados em Novembro e confiados às dioceses para os pôr em prática, até 2014.

Sintonizar a Igreja Católica em Portugal com as propostas teológicas e pastorais do Concílio Vaticano II (1962-1965) é um caminho já bastante andado, mas com muito caminho ainda por andar, sobretudo na formação para e na missão evangelizadora, que é, como se sabe, a prioridade das prioridades da Igreja, ontem e hoje.