Nacional

Violência e religião não fazem sentido

Violência e religião não fazem sentido

Bispos do Médio Oriente propõem diálogo entre cristãos, muçulmanos e judeus.

O Sínodo dos Bispos do Oriente Médio, que encerra hoje, em Roma, aconselha o diálogo ecuménico entre cristãos e o inter-religioso com muçulmanos e judeus, relevando a importância decisiva de proteger a identidade das igrejas orientais católicas.

O dado mais significativo das propostas é a constante referência à necessidade de intensificar a cooperação entre as hierarquias católicas no Médio Oriente, por meio de encontros, iniciativas de solidariedade e uma formação dos sacerdotes e leigos. Sublinha também a importância dos meios de comunicação para a transmissão do ensinamento da Igreja.

Os 185 participantes lançam um apelo aos cristãos, judeus e muçulmanos da região, para que digam "não" à violência em nome da religião. Abordaram também a questão do fanatismo e do extremismo, do anti-semitismo, do fundamentalismo e da violência, deixando votos de que os fiéis cristãos daquela vasta região se unam "para promover a liberdade, a justiça e a paz".

No elenco final das propostas, aborda-se o tema das perseguições aos cristãos, pedindo-se a ajuda da comunidade internacional para pôr fim às tensões e restabelecer a paz na região.

Para evitar a saída em massa dos fiéis daqueles países, o Sínodo pede que os mesmos não vendam as suas propriedades e encoraja os cristãos de todo o Mundo a peregrinar por aqueles locais.

Além de Jerusalém e dos territórios palestinianos, o Sínodo para o Médio Oriente foi participado por representantes de 16 estados: Arábia Saudita, Bahrein, Chipre, Egipto, Emiratos Árabes Unidos, Jordânia, Iémen, Irão, Iraque, Israel, Kuwait, Líbano, Oman, Qatar, Síria e Turquia. Uma região de 7,18 milhões de quilómetros quadrados, com mais de 356 milhões de pessoas e 5,7 milhões de católicos em 20 milhões de cristãos.

PUB

A diversidade de igrejas e comunidades eclesiais levou os padres sinodais a defender a comunhão. As propostas finais abordaram também temas como o ambiente, os média, a família, a Doutrina Social da Igreja e a liturgia.

A 24ª assembleia do Sínodo dos Bispos, primeira para aquela região, teve como tema "A Igreja Católica no Médio Oriente: comunhão e testemunho. A multidão dos crentes tinha um só coração e uma só alma", Iniciou-se em 10 do corrente e termina hoje.

Muitos dos primeiros cristãos foram daquela região e marcaram os primórdios da Igreja. Hoje, são minoria com vidas que chegam ao martírio.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG