O Jogo ao Vivo

Premium

Editoras e gráficas reforçam equipas para garantir livros

Editoras e gráficas reforçam equipas para garantir livros

Vouchers começam esta segunda-feira a ser emitidos para que as famílias possam encomendar manuais escolares. APEL apela a que reservas sejam feitas "o mais cedo possível".

Editoras e gráficas tiveram de rever planos de férias e turnos, para reforçar as equipas e tentarem assim garantir a produção de manuais escolares para o próximo ano letivo. Esta segunda-feira, a plataforma Mega (que gere o programa de gratuitidade dos manuais para as escolas públicas) começa a emitir vouchers para mais de um milhão de alunos poderem encomendarem os livros. A suspensão da reutilização, aprovada no Parlamento, em julho, que impõe que todos os alunos recebam manuais novos, forçou editoras a irem ao mercado comprar matéria-prima a preços mais elevados para aumentarem a produção.

A Comissão do Livro Escolar da Associação Portuguesa de Editores e Livreiros (APEL) lançou o alerta há uma semana: as editoras estão a travar uma corrida contra o tempo porque a decisão do Parlamento - que elogiam do ponto de vista pedagógico - deixou-lhes "um tempo curtíssimo" para imprimirem e distribuírem os manuais do próximo ano letivo.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG