Presidenciais 2016

Candidato Cândido Ferreira abandona debate em direto

Candidato Cândido Ferreira abandona debate em direto

O candidato presidencial Cândido Ferreira abandonou em direto o debate televisivo, na estação TVI24, por discordar do modelo imposto, considerando-o discriminatório no tratamento e tempo de antena dado a todos os candidatos à Presidência da República.

Cândido Ferreira leu uma declaração na qual afirmava a sua discordância quanto à divisão dos candidatos presidenciais em três grupos, "impedindo que todos debatam com todos".

"Não me resignarei perante tão profunda e injusta discriminação", declarou o candidato, que considerou que essa mesma discriminação "ficará para sempre a envergonhar esta eleição e a reduzir a democracia em Portugal".

Cândido Ferreira declarou que "um presidente da República corajoso e isento, como Portugal precisa, terá de ser o primeiro a não ter medo e a promover o princípio da igualdade", acrescentando que "nunca poderá ser bom presidente quem faz de conta que nada disto é com ele".

"Retiro-me serenamente, mas com mágoa, deste programa", disse antes de abandonar o estúdio onde esta noite deveria debater o seu programa eleitoral com Marcelo Rebelo de Sousa, Jorge Sequeira e Vitorino Silva, conhecido por Tino de Rans, afirmando ainda que essa é a "única atitude digna" de quem pretende jurar defender a República.

Após a saída de Cândido Ferreira, Marcelo Rebelo de Sousa afirmou concordar com a atitude do candidato que abandonou o programa e manifestou mais uma vez a disponibilidade para debater individualmente com os candidatos.

Cândido Ferreira dirigiu na quinta-feira uma carta aos restantes candidatos presidenciais a convidá-los a recusarem os critérios dos debates televisivos, que considerou discriminatórios.

Em causa está a divisão dos candidatos em três grupos para os debates nas três televisões (RTP, SIC e TVI) que, para Cândido Ferreira, são "injustificados e sobretudo antidemocráticos".

O primeiro grupo é composto pelos candidatos Marcelo Rebelo de Sousa, Sampaio da Nóvoa e Maria de Belém, o segundo, por Paulo Morais, Henrique Neto, Marisa Matias e Edgar Silva.

Do terceiro grupo constam Cândido Ferreira, Jorge Sequeira e Vitorino Silva.

Cândido Ferreira considera que o terceiro grupo é discriminado de uma forma "flagrante", já que é o único cujos candidatos não podem debater individualmente com os do primeiro grupo - Marcelo Rebelo de Sousa, Sampaio da Nóvoa e Maria de Belém.

Outras Notícias