Legislativas 2015

LIVRE/Tempo de Avançar apela ao "voto útil" para os emigrantes

LIVRE/Tempo de Avançar apela ao "voto útil" para os emigrantes

A plataforma LIVRE/Tempo de Avançar apela a um "voto útil para os portugueses em Portugal e para os que saíram", disse à Lusa, em Paris, Jorge Pinto, candidato pelo círculo eleitoral da Europa às legislativas de 4 de outubro.

"Este é um voto útil para os portugueses em Portugal e para os que saíram e é um voto de protesto contra tudo o que foi feito em Portugal nos últimos anos. Temos uma alternativa para corrigir o que de mal tem sido feito em Portugal porque sabemos que a grande maioria dos portugueses que emigram o faz por não ter oportunidades no país", afirmou o candidato residente em Bruxelas.

Jorge Pinto e José Costa, outro candidato pelo círculo eleitoral da Europa, estão, este fim de semana, na capital francesa e arredores para encontrar portugueses e subscritores da candidatura, tendo-se reunido hoje com representantes do Movimento dos Emigrantes Lesados.

"Achamos que o Banco de Portugal e a CMVM têm responsabilidades, achamos que o Governo tem responsabilidades e que não pode assobiar para o ar. Está a agir como uma criança que tem um amigo em casa que lhe parte qualquer coisa. A criança esconde os cacos debaixo do tapete e quando os pais lhe perguntam se sabe do objeto partido responde incessantemente que não sabe", afirmou Jorge Pinto, sublinhando que "grande parte dos lesados do BES, nomeadamente os emigrantes, foi ludibriada".

O candidato do Livre está "à espera de um bom resultado" no círculo eleitoral da Europa, lembrando que nas últimas eleições europeias foi "o partido mais votado na Suécia e no consulado de Berlim".

"A diáspora foi sempre um dos pontos fortes do nosso movimento. Nos últimos anos, saíram de Portugal quase meio milhão de portugueses, sobretudo para a Europa, e o eleitorado do Livre é também um eleitorado jovem. Entre as pessoas que saíram nos anos da troika e da austeridade, há muita gente que se identifica com as ideias do partido", justificou, por sua vez, José Costa.

O programa eleitoral do "LIVRE /Tempo de Avançar" prevê acabar com a propina no ensino de português no estrangeiro, integrar o ensino de português nos planos de formação escolar dos países de acolhimento e reabilitar e fortalecer o Conselho das Comunidades Portuguesas que considera ter estado "nos últimos anos praticamente moribundo".

PUB

Prevê o reforço dos serviços consulares, com a reativação do projeto do Consulado Virtual, defende o recenseamento automático no estrangeiro, o estudo e teste do voto eletrónico, a possibilidade de o cidadão residente no estrangeiro poder optar entre votar pelo círculo da emigração ou pelo círculo de Portugal, e a remoção das "barreiras à participação política de cidadãos com dupla nacionalidade" para que, por exemplo, um cidadão luso-francês possa ser candidato pelo círculo da Europa.

A lista de candidatos do "LIVRE /Tempo de Avançar" pelo círculo eleitoral da Europa é constituída, ainda, por Luísa Álvares, residente na Suíça, e Carolina Neto Henriques, residente na Dinamarca.

De acordo com dados do Ministério da Administração Interna, de 3 de agosto, este círculo eleitoral tem 78.253 eleitores, os quais vão eleger dois dos 230 deputados da Assembleia da República. O círculo eleitoral fora da Europa também elege dois deputados.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG