Nacional

Nóvoa recebeu abraço do pai na Póvoa de Varzim

Nóvoa recebeu abraço do pai na Póvoa de Varzim

O candidato presidencial António Sampaio da Nóvoa começou o sexto dia de campanha eleitoral ouvindo as preocupações de pescadores na Afurada, em Vila Nova de Gaia, antes de receber um abraço do pai na Póvoa de Varzim.

"Ter o meu pai a acompanhar-me é muito bom", vincou António Sampaio da Nóvoa, depois do seu pai ter elogiado a "determinação" do filho aspirante a Belém: "Todos os dias da vida dele vão ser dedicados a exercer as suas funções e a contactar com as pessoas", disse Alberto Sampaio da Nóvoa, nascido na Póvoa, sobre o seu filho.

O pai do candidato a Belém diz não ter ficado surpreendido com a candidatura de "Tó-Mané", o seu filho, e garante que se chegar a Presidente cumprirá a sua missão com profissionalismo e vontade.

Além do pai, também o tio do antigo reitor esteve presente no passeio a pé - Nóvoa haveria de contar aos jornalistas que foi repreendido pelo seu familiar por não se ter referido ao Varzim Sport Club, a equipa local, nas suas entrevistas à imprensa.

Numa passagem posterior pela sede de candidatura local, o antigo reitor recebeu uma típica camisola da Póvoa com o seu nome inscrito, lembrando que andou com camisolas do género "muitas vezes em criança".

Na localidade, no distrito do Porto, Nóvoa foi bem recebido por algumas dezenas de cidadãos num percurso pelo centro da cidade num dia soalheiro, embora algo frio.

"Sou militante do PCP mas vou votar em si", disse uma local ao candidato.

O arranque do dia deu-se na Afurada, Vila Nova de Gaia, com um passeio junto do Douro e uma visita ao Centro Interpretativo do Património da Afurada.

O espaço, disse um responsável, é uma "âncora do turismo" local e recebe anualmente cerca de 19 mil visitas, inclusive de turistas internacionais.

Na ocasião, Nóvoa contactou com diversos instrumentos utilizados para a pesca e ouviu as queixas dos profissionais do setor, nomeadamente sobre as quotas da apanha da sardinha.

Um Presidente, lembrou, não tem funções governativas, mas é importante ouvir as preocupações dos trabalhadores, mais a mais de um "setor tradicional que tem de ser protegido".

Depois, já junto ao Douro, e ao agarrar de forma eficiente uma rede de pesca, ouviu de um local que dava para pescador, tendo sido questionado se a sua visita à Afurada tinha por objetivo a captura de votos entre os presentes.

"Não estou nem à caça, nem à pesca de votos, estou a falar com as pessoas", disse, nitidamente bem-disposto, relembrando o seu desígnio de ouvir os cidadãos para melhor se preparar caso chegue a chefe de Estado.

De todo o modo, Nóvoa ouviu já que "na Afurada, vai ganhar" as eleições de dia 24 de janeiro.