Concurso

Em 105 cursos entrou-se com 17 valores ou mais na 2.ª fase

Em 105 cursos entrou-se com 17 valores ou mais na 2.ª fase

Colocados 9787 estudantes na 2.ª fase do Concurso de Acesso ao Superior. 42 licenciaturas ficaram desertas.

Consulte aqui a lista dos resultados de acesso à 2.ª fase do Ensino Superior

São já conhecidas as colocações da 2.ª fase do Concurso Nacional de Acesso ao Ensino Superior, com 9787 estudantes colocados, o que corresponde a 43% dos candidatos. Para a 3.ª e última fase, que arranca no próximo dia 22, sobraram agora 4255 vagas. Tal como na 1.ª fase do concurso, destaque para a subida das notas de ingresso.
Contas feitas, em 105 cursos o último colocado entrou com 17 ou mais valores. São mais 35 cursos com média acima de 17 se compararmos com os resultados da 2.ª fase do concurso do ano passado. A pressão sobre as médias era, aliás, expectável devido à flexibilização dos critérios de avaliação dos exames nacionais por causa do impacto da pandemia no terceiro período letivo. Na 1.ª fase verificou-se, recorde-se, uma subida média nas notas superior a 0,5 valores, com quatro cursos a ultrapassarem a fasquia dos 19 valores.

Nesta 2.ª fase, de acordo com os dados libertados pelo Ministério do Ensino Superior, a Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto conta com dois cursos no top3 de ingresso. Bioengenharia foi aquele com a classificação mais elevada, nos 195,8 pontos, e Engenharia e Gestão Industrial - líder na 1.ª fase no que a média de entrada concerne, batendo os 19,13 valores - com 192,8 pontos. Terceira posição esta ex-aequo com o Mestrado Integrado de Medicina da mesma Universidade. Em segundo lugar classificou-se o curso de Medicina da Nova de Lisboa, nos 194,2 pontos.
De salientar, ainda, um total de 42 cursos que não tiveram qualquer candidato, sendo a maioria de institutos politécnicos. Na 1.ª fase, recorde-se, tinham sido 32. Com Engenharia Civil, em linha com anos anteriores, a deixar 291 vagas para a 3.ª fase, com oito cursos sem qualquer procura. Em sentido contrário, áreas como Enfermagem ou Farmácia preencheram todos os lugares postos a concurso.

Com a subida das médias desceu também para nove os cursos com nota de entrada inferior a 10 valores. São menos 17 face à 2.ª fase do ano passado. De referir que 54% dos estudantes agora colocados ingressam no ensino politécnico e os restantes no universitário.

Fechadas as duas fase de acesso, são já 53984 os novos estudantes do Ensino Superior, num crescimento de 16% face a 2019. A tutela estima chegar aos 95 mil.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG