Companhia Ilimitada

Aplicação vai aproximar emigrantes poveiros

Aplicação vai aproximar emigrantes poveiros

Um projeto de quatro jovens de Laundos, vencedor do Orçamento Participativo Jovem da Câmara da Póvoa de Varzim, vai criar uma app para smartphone, destinada a informar quem são os poveiros que vivem num raio de 200 quilómetros. A partir daí, há um leque de opções de ajuda.

A ideia é juntar os poveiros espalhados pelo Mundo. Saber quem está mais perto, combinar boleias, pedir ajuda para mudanças, anunciar reparações ou serviços de babysitting, dar informações sobre serviços e restaurantes. Será assim a app "E-Migra". O projeto de André Leite, Jorge Moreira, Vítor Claro e Joana Macedo venceu o Orçamento Participativo Jovem (OPJ) da Póvoa de Varzim. A aplicação para telemóveis estará pronta no final do ano.

É uma espécie de rede social ou, como André gosta de lhe chamar, "uma rede privada e utilitária".

Em agosto de 2018, os quatro amigos, todos atletas da Associação Cultural e Desportiva de S. Miguel de Laundos, decidiram abalançar-se no lançamento do jornal local "Os Lobos do Monte".

"A Associação já foi muito grande quando os emigrantes estavam cá. Perdemos essa massa crítica e o jornal surgiu com essa ideia de aproximar os nossos emigrantes. Em Laundos, 40 a 50% da população [de cerca de dois mil habitantes] está a trabalhar no estrangeiro e há, cada vez mais, jovens emigrados", explica Jorge Moreira.

O jornal mensal vai "de vento em polpa" e, agora, o grupo decidiu concorrer ao OPJ e "alargar o leque" a todo o concelho.

Portugal tem 2,3 milhões de emigrantes. Milhares são poveiros. Brasil, Inglaterra, França e Suíça são alguns dos destinos.

André é engenheiro mecânico, Jorge gestor de conta e designer, Joana é gestora da banca e Vítor Claro diretor de arte. Nenhum tem propriamente experiência na criação de software, mas isso não os assustou.

"O conceito é nosso, mas depois haverá uma equipa externa para codificar", afirma André. O jovem vai desvendando pormenores da nova app: "Após o registo, vai dizer-nos, por exemplo, quem são os poveiros que vivem num raio de 200 quilómetros, seja em França ou no Brasil, os pontos de interesse e os serviços locais. Terá um chat, uma secção de mobilidade - com voos, boleias, mudanças, etc. -, uma área de serviços - traduções, reparações, babysitting -, um espaço para vender, trocar ou doar coisas e informações sobre restaurantes, hamburguerias, bares e hotéis com vouchers e promoções".

"A ideia é facilitar a adaptação ao país. Se tiver algum conterrâneo na zona, pode tirar dúvidas, pedir sugestões, consultar serviços disponíveis", continua a explicar Jorge, acrescentando que a aplicação será "muito direcionada para público jovem", que está em estágios ou a estudar ao abrigo do programa Erasmus.